Aqui elas dão show!

Loading...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Comissões de frente 2010

UNIÃO DA ILHA
ENREDO: "Dom Quixote de la Mancha, o cavaleiro dos sonhos impossíveis"
CARNAVALESCO: Rosa Magalhães
COMPONENTES: 15 masculinos
NOME DA FANTASIA: "O toureiro"
O QUE REPRESENTOU: Nada mais característico da cultura hispânica do que as touradas. Força, bravura, poder, sedução e luta pela vida simbolizam o ritual das touradas. Na maioria das cidades espanholas a praça de touros é o centro da manifestação cultural, e hoje a nossa praça é a da apoteose e a nossa arena a Sapucaí.O personagem é um toureiro que carrega de si a coragem, o destemor, a valentia e a força de um touro. O toureiro tem uma postura elegante e sedutora que conquista a platéia na entrada em cena. Executa a manipulação das capas num bailar envolvente com destreza e agilidade, alinhando à sua técnica corporal os movimentos que remetem a dança flamenca.O touro brinca de duelar com a vida, luta sem medo e não percebe que o seduz e fascina é pura ilusão. Mas nesse duelo não haverá vencedores e nem vencidos. Nem sangue será derramado. Na simbologia das rosas vermelhas brota a paixão e a vida que serão ofertadas  à platéia. Na arte do pintor espanhol surrealista Salvador Dalí contempla-se a tela "ROSA MEDITATIVA" que foi fonte de inspiração para recriar um universo de beleza no imaginário da imortalidade dos toureiros e touros.
E quem é que não tem uma louca ilusão e um Quixote no seu coração?
OLÉ!
COREÓGRAFO: Luciana Yegros
PONTUAÇÃO:
GRANDE RIO
ENREDO: "Das arquibancadas ao Camarote N°1,  um GRANDE RIO de emoção na Apoteose do seu coração"
CARNAVALESCO: Cahê Rodrigues
COMPONENTES: 14 homens e 1 mulher (a atriz Cris Vianna)
NOME DA FANTASIA: ?
O QUE REPRESENTOU: Quando se fala em carnaval e samba, nossas mentes encaminham-se para a visão da dança da mulata faceira coberta de sedução e malineza meneando-se ao som do pandeiro que recebe todo o tipo de movimento do passista que se envolve no tempero da mulata a quem trata com todo o carinho digno de um mestre de cerimônias. A esse passista atribui-se a imagem do bom malandro, o da boemia, das casas de bamba e de capoeira. O pandeiro é o palco e a mulata é a musa , a Iaiá a qual a letra do samba se refere.
COREÓGRAFO: Renato Vieira
PONTUAÇÃO:
VILA ISABEL
ENREDO: "Noel: a presença do Poeta da Vila"
CARNAVALESCO: Alex de Souza
COMPONENTES: 14 homens
NOME DA FANTASIA: "O samba desce o morro"
O QUE REPRESENTOU: Recriar a atmosfera social e cotidiana na qual estava inserido o “poeta da Vila”
é a proposta da comissão de frente para o Carnaval 2010. A partir das características irreverentes e bem humoradas de Noel Rosa, a comissão de frente buscou como ponto de partida os negros vistos pelas caricaturas de Lan, para retratar e satirizar o modo com que Noel via a sociedade em que vivia e traduzia em canções. Os quinze integrantes da comissão de frente retratarão os negros sambistas do morro, com um toque de malandragem típico dos anos vinte e trinta. Esses mulatos anônimos do morro a serem representados  são os compositores a quem Noel se integrou e com eles compôs. Os integrantes vivenciarão o cotidiano boêmio de Noel, através de um passeio pelos locais mais visitados pelo compositor como os bares e cabarés, acompanhado sempre do seu fiel companheiro: o violão. Os elementos artísticos na montagem coreográfica utilizam recursos de danças populares e de teatralidade.
COREÓGRAFO: Marcelo Misailidis
PONTUAÇÃO:

MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL
ENREDO: "Do paraíso de deus ao paraíso da loucura, cada um sabe o que procura"
CARNAVALESCO: Cid Carvalho
COMPONENTES: 14 homens e 1 mulher
NOME DA FANTASIA: "Anjos - Os guardiões do Paraíso"
O QUE REPRESENTOU: ”. Com a tarefa de abrir o desfile da Mocidade Independente de Padre Miguel, a Comissão de Frente da escola representará, através da dança de 15 bailarinos, os Anjos da Guarda enviados por Deus, para cuidar do Portal do Paraíso e da sua maior criação. Como na Bíblia, o paraíso que o público vai conhecer será exatamente o idealizado por Deus, segundo o sagrado livro de Gênesis: perfeito, sem maldade, sem dor, onde somente deveria existir a felicidade, a paz e o mais puro AMOR.
E caberá à comissão, na forma de Anjos da Guarda anunciar a criação de Deus e proteger o portal de entrada do Jardim do Éden, de todas as mazelas do mundo. O cuidado com a entrada do paraíso será encenado com a utilização de um tripé, que terá como função principal revelar a maior referência da natureza desde o início dos tempos: a árvore do Éden (árvore do bem e do mal).Figura chave da origem humana, o casal Adão e Eva, será representado na Avenida pela pureza e ingenuidade de duas crianças, fase onde começa a florescer o verdadeiro amor, protegidos pelos seus anjos que os guardará de todo o mal. Um paraíso perfeito tão sonhado por Deus, e desejado por todos em todos os tempos.
COREÓGRAFO: Jorge Teixeira e Saulo Finelon
PONTUAÇÃO:


BEIJA FLOR
ENREDO: "Brilhante ao Sol do Novo Mundo, Brasília do Sonho à Realidade"
CARNAVALESCO: Comissão de carnaval
COMPONENTES: 14 homens e 1 mulher
NOME DA FANTASIA: "Dádivas Concedidas pelo Criador num Sonho Divina"
O QUE REPRESENTOU: O beija-flor, símbolo vivo do G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis voa velozmente, ultrapassando as fronteiras do tempo, materializando o vislumbre que  apontava para o local onde deveria ser construída a futura capital do Brasil, então representada por um de seus mais suntuosos monumentos, a Catedral de Brasília. O pequenino pássaro baila entre a legião de arautos que conduziram o espírito celestial que fez, através de um sonho, a grande anunciação para o padre Dom Bosco. "... quando vierem explorar as riquezas prometidas neste planalto, surgirá aqui a  Grande Civilização, a Terra Prometida, onde jorrará leite e mel..."
INTEGRANTES: Ailton Carvalho, Douglas Amaral, Kiko Lopes, Roberto de Jesus, Anderson Aguiar, Helder Satiro, Léo Sousa, Wagner Martins, Bruno Pixote, Jardel Lemos, Oxy, Yara Barbosa, Cleverson Rodrigues, Jhon Gomes, Paulo Jr.
COREÓGRAFO: Ghislaine Cavalcante
PONTUAÇÃO:

UNIDOS DA TIJUCA
ENREDO: "É segredo"
CARNAVALESCO: Paulo Barros
COMPONENTES: 9 masculinos e 6 femininos
NOME DA FANTASIA: "Nem tudo o que se vê parece ser"
O QUE REPRESENTOU: Mágica ou magia? Procure o truque, o que acontece num piscar de olhos, que não conseguimos perceber. Ilusão de ótica? Qual é o segredo que não está nas mangas nem na cartola? A diversão é descobrir... A Comissão de Frente da Unidos da Tijuca monta um palco na Avenida e, num passe de mágica, apresenta seus segredos. Acredite, mas o que parecia impossível acontece diante de seus olhos. Como é que pode? Descubra os truques dos mestres do entretenimento que aperfeiçoaram técnicas para desafiar sua capacidade de perceber que nem tudo o que se vê é o que parece ser. Se, hoje, os mágicos do cotidiano esbanjam agilidade e desafiam a percepção, há cinco mil anos, esse poder era tribuído ao sobrenatural. Os ilusionistas aprenderam muito voltando ao tempo em que os homens acreditavam que tudo era obra dos deuses e que os magos detinham os segredos da transformação, o controle do tempo, o destino dos homens. O tempo do segredo pode levar segundos ou séculos. Nessa  passagem, também está o alquimista, que procura em um passado distante os pergaminhos perdidos, talvez a fórmula secreta para criar diamantes, os truques para entreter o público atento da corte, o poder que vai definir o seu futuro. O segredo está na mágica do presente ou na magia do passado?Neste ano, a comissão de frente abriu os olhos do público e dos jurados para o espetáculo que seria apresentado a seguir e a Tijuca conquistou o tão esperado campeonato.Um enorme camarim  montado na avenida desafiou o público a descobrir os truques dos mágicos. Foram seis trocas trocas de roupa a cada execução da coreografia. Os vestidos mudaram de estampa, de tecido e, por fim, formavam, juntos, o nome da Tijuca. A apresentação marcou uma página importante na tragetória das comissões de frente.
COREÓGRAFO: Rodrigo Nery e Priscila Mota
PONTUAÇÃO:10,0 - 10,0 - 10,0 - 10,0 - 10,0


PORTO DA PEDRA
ENREDO: "Com  que Roupa Eu Vou? Pro Samba que Você me Convidou"
CARNAVALESCO: Paulo Menezes
COMPONENTES: 7 femininos e 8 masculinos
NOME DA FANTASIA:  "Brincando de Bonecas"
O QUE REPRESENTOU: No imaginário infantil, o primeiro contato que uma menina tem com a moda é quando ela brinca com suas bonecas de papel e, trocando suas roupas, vai combinando a melhor produção para cada uma. Meninas brincam de bonecas e bonecas brincam com meninas. Use a imaginação!
Apoiados por um elemento alegórico que representa um quarto de meninas, a coreografia é toda trabalhada em cima do imaginário infantil da troca de roupas das bonecas, que ao final da montagem mostrarão bonecas com vestimentas de várias épocas, fazendo um passeio pela evolução da indumentária.
COREÓGRAFO: Alice Arja
PONTUAÇÃO:

SALGUEIRO
ENREDO: "História sem fim"
CARNAVALESCO: Renato Lage e Márcia Lavia
COMPONENTES: 15 masculinos
NOME DA FANTASIA: "Monges Copistas"
O QUE REPRESENTOU: A escrita mantém vivos o passado e o presente de nossas histórias. E registra o novo, não permitindo que, no futuro, tudo caia no esquecimento. É guardiã fiel da memória da humanidade.
Durante a Idade Média, este papel coube aos Monges Copistas, que transcreviam ou copiavam textos, à mão, sobre rolos de papiro e pergaminho. Possibilitaram o surgimento dos primeiros livros, popularizados mais tarde a partir da prensa de tipos móveis, por Johannes Gutenberg.
E por serem os livros considerados os principais acessórios de liturgia a serviço dos ensinamentos divino, julgou-se que deveriam ser ornamentados, tal e qual os altares, as paredes das igrejas ou as alfaias litúrgicas. Seguindo este pensamento, os Monges Copistas produziram verdadeiras obras de artes, utilizando um tipo de letra bastante enfeitada, chamada letra gótica. Nas margens das páginas e no início dos textos desenhavam enfeites diversos, chamados iluminuras. Assim, neste momento em que é identificada a especial importância dos manuscritos iluminados como documentos da realidade estética de um tempo, o Salgueiro traz para a Marques de Sapucaí os Monges Copistas, com suas mesas de trabalho e suas escritas  enfeitadas para apresentar a escola e pontuar um momento da história em que o livro deixou de ser mero objeto litúrgico e passou a estar ao serviço de um homem ávido por conhecimento.
Do imaginário do Monge surgirão cavaleiros medievais estilizados que, com suas lanças de batalha, deslizarão de suas próprias realidades para dar formas e cores as iluminuras. O Monge, através de sua arte em iluminar os livros, irá, quase que num delírio de criação, enfeitar a avenida como se esta fosse a principal página de um grande livro, "O Livro do Carnaval".
COREÓGRAFO: Hélio Bejani
PONTUAÇÃO:


IMPERATRIZ
ENREDO: "Brasil de todos os deuses"
CARNAVALESCO: Max Lopes
COMPONENTES: 15 integrantes
NOME DA FANTASIA: "O homem em busca de Deus"
O QUE REPRESENTOU: A comissão de frente da Imperatriz representa a constante busca do homem por um ser superior, uma força maior, que guie, oriente e ilumine seus passos. Desde os tempos mais remotos,
caminhando em meio à constante luta entre o bem o mal, o ser humano sempre buscou proteção em um 'Ser Maior‘. Por vezes esta ‗Força‘ está representada nos elementos da natureza, como pedras, rios e até animais. Em outros casos está simbolizada numa figura humana. Os 15 componentes da comissão de frente representam ao mesmo tempo seres mitológicos e humanos em busca de Deus, através de ritos de fé, recursores das modernas religiões.
COREÓGRAFO: Regina Sauer
PONTUAÇÃO:

PORTELA
ENREDO: "Derrubando fronteiras, conquistando liberdade... Rio de paz em estado de graça!"
CARNAVALESCO: Alex de Oliveira e Amaury Santos
COMPONENTES: 15 masculinos
NOME DA FANTASIA: "Segue os passos da evolução..."
O QUE REPRESENTOU: a Comissão de Frente estará representando a correlação: homem e modernidade. Convite a navegar e conhecer um mundo irreal, novo, mágico, sem fronteiras e com acesso a todos os tipos de informações. Utilizando da melhor maneira, esse equipamento no mundo real, de forma mais ética, digna, democrática e mais transparente, vislumbraremos a transformação, onde todos estarão inclusos digital e socialmente.
A coreografia e o figurino destacarão os meios de  acesso a internet, tais como: conexão a cabo (utilizado tripé como elemento cênico) e conexão sem fio (wireless). Seus 15 integrantes estarão representando a ficção cientìfica: “homens - maquina”, “homem de cem milhões de dólares” e sua funcionalidade, por exemplo: a evolução da medicina e seus recursos de equipamentos e tecnologia possibilitam transformação em partes do nosso corpo por próteses mecânicas.
COREÓGRAFO: Henrique Talmah
PONTUAÇÃO:

MANGUEIRA
ENREDO: "Mangueira é música do Brasil"
CARNAVALESCO: Comissão de carnaval
COMPONENTES: 6 femininos e 9 masculinos
NOME DA FANTASIA: "Um Brasil que Dança, Canta e É Feliz"
O QUE REPRESENTOU: No Brasil, a música sempre foi de manifesto: da alegria, das tristezas, dos períodos nebulosos da nossa história. Tal qual cada região tem a sua música, para cada música, uma dança. É como uma espécie de incorporação, um vestir de personagem: quem não se sente mais nordestino ao dançar um baião, ou mais interiorano ao dançar um sertanejo, ou um legítimo malandro ou mulata, ao sambar? A música faz isso com a gente: nos mobiliza. Nos faz sentir vivos e, ao contrário da evolução
científica pregada no mundo,  nos faz perceber que acima de tudo, somos HUMANOS. No entendimento do nosso corpo como máquina, os órgãos e músculos são as engrenagens e a música, o que dá a vida. Ora, dançar sem música soa falso, é preciso a marcação. Cantar sozinho, é felicidade! Mangueira apresenta na abertura de seu desfile, a força mobilizadora e essencialmente humana: somos felizes porque somos brasileiros. E Mangueirenses! Villa-Lobos, grande incentivador do reconhecimento da música popular, é homenageado: foi ele que selecionou  Donga, Zé Espinguela e Cartola para a gravação do disco do maestro Leopoldo Stokowski, colocando a música brasileira, na figura do samba, no grande circuito da música
internacional: o samba passa a ser música do mundo! Ao optar por abrir mão de efeitos mirabolantes e pirotécnicos, a Comissão de Frente da Estação Primeira dá especial destaque ao ser humano que muitas vezes fica esquecido. Dessa maneira, o carro chefe de nossa apresentação será o trabalho dos bailarinos que passearão pelos principais movimentos musicais. Ao longo da apresentação, os presentes na Sapucaí e os que acompanharão as transmissões pelas diferentes mídias, verão o orgulho e o respeito com que a Comissão apresenta a Estação Primeira. Assistirão ainda, uma apresentação ousada e criativa, que manterá o sincronismo, a graça e a suavidade dos movimentos, de forma a cumprir tudo aquilo que foi exaustivamente ensaiado desde outubro, logo após a escolha do samba enredo.
O elemento cenográfico que integra a Comissão, tão bem elaborado pelo cenógrafo Sérgio Marimba que aí está para realçar o trabalho dos bailarinos e não para ser um elemento que ao se destacar coloque os seus efeitos e sua beleza acima do potencial criativo do homem, pois afinal, quando surgiram as Comissões de Frente nas Escolas de Samba, elas buscavam destacar aqueles que com sua entrega e trabalho diuturno ajudavam a colocar a Escola na Avenida e que orgulhosos a apresentavam ao público. Não estamos propondo a volta ao passado, mas apenas destacando que a tecnologia e a ciência devem estar sempre voltadas para o bem estar do homem. Por mais mirabolantes que sejam os engenhos e equipamentos criados para que isso ocorra, sempre será necessário que o ser humano crie, ouse, sonhe, trabalhe. Essa talvez seja a principal mensagem que a Comissão de Frente da Estação Primeira de Mangueira quer deixar na Sapucaí: vamos valorizar o ser humano! Ao fazer uma síntese do enredo, marcada pelo samba-enredo, a Comissão de Frente será um cartão de visita da Escola e convidará a todos para passear na Música Popular Brasileira, vivendo, revivendo os diferentes movimentos musicais.
Com certeza, ao ver a Comissão de Frente abrir o caminho para o desfile da Estação Primeira, cada um
renovará o compromisso com a felicidade e CANTARÁ e DANÇARÁ. Enfim, será FELIZ!
COREÓGRAFO: Jayme Aroxa
PONTUAÇÃO:

VIRADOURO
ENREDO: "México, o Paraíso das cores, sob o signo do sol"
CARNAVALESCO: Edson Pereira e Junior Schall
COMPONENTES: 7 femininos e 8 masculinos
NOME DA FANTASIA: "Frida Kahlo"
O QUE REPRESENTOU: A coreografia da comissão de frente está baseada em pesquisa no livro de Hayden Herrera e no filme com dieção de Julie Taymor. Apresentaremos alguns trechos da vida desta grande artista e revolucionária mexicana. No reverso do tempo, iniciaremos o desfile com uma lúdica exposição de suas obras onde, enferma em sua cama, esta heroína conquista o reconhecimento em seu país amado. Através de suas  obras, surge o famoso atelier de Frida Kahlo. Abrindo-se o mesmo, ilustraremos
algumas das cenas mais marcantes desta longa, feliz e sofrida trajetória, na visão do coreógrafo. Sua luta contra as enfermidades e o desejo de voltar a andar, as traições de seu eterno amor, Diego Rivera... Momentos de angústia e sofrimento a levam à bebedeira e a cortar seu estimado e representativo cabelo. Sua participação e a de Diego  Rivera na revolução mexicana, bem como seu famoso romance com Trotsky; seu relacionamento homossexual, com a ciência de Diego. Por fim, suas obras, sua vida contada através de seus autoretratos.
COREÓGRAFO: Sérgio Lobato
PONTUAÇÃO:

FONTE: "Abre Alas" - LIESA

Nenhum comentário:

Postar um comentário