Aqui elas dão show!

Loading...

sexta-feira, 11 de maio de 2012

SOU COMPONENTE - Júnior da Camisa Verde Branco


"Sou VERDE E BRANCO até a morte 
Do VERDE E BRANCO não me separarei 
Deu-me tantas alegrias 
Belos carnavais que eu passei, eu passei..." 

Uma verdadeira declaração de amor à agremiação paulistana Camisa Verde e Branco. É isso o que você vai encontrar ao ler a entrevista feita com o auxiliar de departamento pessoal Edgar Ataíde Ribeiro Júnior.
Vindo de uma família dedicada à escola da Barra Funda, começou a desfilar quando tinha apenas 13 anos de idade e hoje aos 26 é um dos integrantes mais experientes da comissão de frente.
Então, confira a seguir o nosso bate papo na íntegra.

Como surgiu a paixão pelas escolas de samba e pelas comissões de frente?

Cresci ouvindo a minha família falar sobre carnaval. Minha mãe já era componente do Camisa Verde e Branco na década de 70, meus tios destaques nos anos 90 e 2000 e depois essa paixão veio passando de geração pra geração.
A paixão por comissões de frente começa muito cedo, quando assistia pela televisão a cada ano as evoluções que as mesmas vinham tendo. Até conseguir a primeira oportunidade pra entrar na Comissão de Frente do Camisa Verde e Branco com somente 14 anos de idade, através de um convite do meu primo Igor que já integrava o grupo coreografado por Ismael Toledo nosso atual coreógrafo hoje.
Os tios de Edgar
Quando e como foi a estreia em comissões?

Já desfilava em outros setores desde 1999, até que em 2001 fiz minha estréia pela Comissão de Frente pela Camisa Verde e Branco, foi um tanto conturbada, afinal eu tinha somente 14 pra 15 anos de idade. Nem a coreógrafa (Yaskara Manzini) imaginava que eu teria essa idade rsrs.
Quando fomos experimentar a fantasia acabei passando mal, afinal o costeiro pesava em torno de 25 a 30 quilos. Mas graças a Deus no dia nada deu errado, fizemos um desfile perfeito trazendo a nota máxima pra Barra Funda.

Quais os horários, como eram os ensaios e o processo de criação?

Os horários já variaram muito durante os anos, já ensaiamos 2 horas por dia mas também já fizemos ensaios de 4, 5 horas direto, ou em 2 períodos. Hoje em dia fazemos ensaios de no máximo 2 horas. Os processo de criação geralmente tem inicio com o(a) coreógrafo(a), trabalhando conosco tudo que será preciso para o desenvolvimento da coreografia, como parte física, dinâmicas, expressões. Depois passando por toda a criação do coreógrafo no qual o mesmo geralmente já têm o esboço da coreografia montada e depois vai criando de acordo com desenvolvimento do enredo proposto pelo carnavalesco.
Por fim fazemos uma dura e necessária limpeza de movimentos pra ficar tudo na mais perfeita sincronia.

Qual foi o desfile mais marcante?

Pra mim além da estréia em 2001, foi o de 2002 até pelo fato da escola ter sido vice-campeã perdendo o campeonato por somente meio ponto. A Comissão representou Os Doendes, com uma coreografia ousada e muito rápida pra ser executada.
E felizmente trouxemos mais uma nota máxima. Vários outros anos foram especiais também, porém esse foi mais marcante até pelo resultado da escola.

Qual a escola de coração?

Sou Camisa Verde e Branco até a morte, como já diz nosso hino.

Vocês são responsáveis por 40 pontos da escola. O tempo de ensaio é longo, mas o nervosismo e a tensão são inevitáveis. Como funciona a concentração para o desfile?

É uma responsabilidade imensa. Não só a nossa mas de todos os quesitos também, principalmente nos último 3 anos que o quesito comissão de frente vem sendo o 1º critério de desempate aqui em São Paulo. Ensaiamos muito para o grande dia, é sol, chuva, stress, acabamos deixando um pouco de lado os filhos, esposas, namoradas, família pra no final conseguirmos o nosso objetivo.
Na nossa história de Comissão sempre ficamos na casa de um dos integrantes, porém ultimamente ficamos no Hotel. Sempre procurando ficarmos concentrados, nos hidratando, e sempre próximos da equipe que nos acompanha, afinal é nesse momento que estamos sendo maquiados e nos vestindo para nos apresentar.

Você tem algum ritual antes de entrar na avenida?

Não tenho algo muito diferente. Somente faço minha oração sozinho, me concentro e abraço cada integrante da comissão, passando muita energia e vibração positiva para cada um deles.

Desde o início dos desfiles na década de 30, as comissões de frente vem sofrendo constantes mudanças. Presenciamos momentos marcantes na Marquês de Sapucaí. Como você tem visto as atuais mudanças no quesito?

Quem é comissão de frente e gosta do que faz, com certeza já pesquisou e buscou saber como eram as apresentações antigamente. São duas épocas totalmente distintas.
A cada ano a evolução coreográfica, idéias, fantasias vem crescendo absurdamente. Creio que várias comissões inovaram e acabou se mudando o pensamento sobre criação. Quem não se lembra da Mangueira em 1999 onde cada integrante representou perfeitamente cada sambista imortal, as belas comissões da Imperatriz coreografada por Fabio de Mello, sempre inovadoras.
Lembro até hoje quando estávamos concentrado no Hotel para o nosso desfile em 2010 e vimos a comissão de frente da Tijuca fazendo as trocas de roupas, todo mundo ficou de boca aberta claro.
Vejo essa evolução no quesito como satisfatória, quando estamos nos apresentando, querendo ou não estamos vendendo um show, show esse que é transmito para o mundo inteiro, não pode simplesmente vir e fazer o básico, precisa de ousadia, investimento e coragem para abusar. Afinal somos os primeiros a entrar na avenida e essa primeira impressão precisa ser marcante.
Espero que a cada ano todas as comissões de frente inovem, pois somente assim continuaremos a mostrar para o mundo inteiro o belo show que nós brasileiros somos capazes de produzir.

Hoje é quase obrigatória a utilização de tripés na apresentação das CF. O que acha desta nova tendência?

É muito relativo tudo isso. No meu pensamento a utilização do tripé pode ser muito importante e bonito, porém é um risco. Risco não pelo fato do mesmo quebrar (afinal não podemos temer por isso), mas risco de utilizar o tripé e não ter integração perfeita dos componentes com o tripé.
Tudo precisa estar bem claro para o jurado. Penso que quanto mais nós tivermos tripés, ou qualquer outra coisa que deixe a apresentação plasticamente mais bonita e interessante é válida. Desde que seja com coerência e clareza para o jurado e o público.

Qual o melhor coreógrafo na sua opinião? Por quê?

Fabio de Mello atualmente na Beija Flor. Sou suspeito a falar dele. Acho ele um “monstro”, sempre me impressionou cada ano que ele coreografou as comissões principalmente na Imperatriz. Impressionante! E felizmente já consegui dizer isso pra ele diretamente.
Em São Paulo temos nosso coreografo Ismael Toledo, que consegue fazer desenhos e misturar ritmos, movimentos de braços interessantes. Além de Oyama Queiroz coreografo da Pérola Negra que esse ano ganhou o Tri do Troféu nota 10 como melhor Comissão de Frente de São Paulo.

Que comissão você considera a mais marcante de todas?

Difícil citar somente uma. Pra mim seria a Imperatriz Leopoldinense em 2005, com os Cisnes Brancos, perfeito.
Nossa Comissão em 2008 com Homens e Mulheres da Caverna. Gosto também da Mocidade Alegre em 2003.

Sei que vocês tem uma preparação corporal toda pensada para o grupo, com direito a academia e tudo mais... Como é a relação com a escola e com a comunidade?

Nossa relação é a melhor possível. Em todos esses anos já tivemos muitos problemas com diretorias, hoje as coisas melhoraram muito, pois conquistamos nosso espaço, conquistamos esse reconhecimento dos diretores, da nossa comunidade e da comunidade do samba.
Nossa comunidade tem muito carinho conosco, pois sempre estamos em nossa quadra nos divertindo e divertindo a galera com brincadeiras e coreografias.

Vocês abriram os desfiles deste ano. Muita responsabilidade... No Rio existe sempre uma preocupação por parte da primeira escola em pegar o público ainda frio. Isso preocupa vocês também?

Aqui em São Paulo também. Não só por pegar o público frio, pois isso depende da gente pra alegrar eles, mas também os jurados. Os julgadores estão sem parâmetro de julgamento, eles são treinados pra serem justos independente da ordem de desfile, porém sabemos que infelizmente não existe isso. Se a apresentação era pra nota 10, infelizmente o jurado dá 9,8 ou 9,7, por alguma coisa.
Mas creio que isso vem melhorando e o critério de julgamento vem ficando mais severo, porém mais claro pra todos nós.

Como foi o desfile deste ano?

O desfile da escola no geral estava bonito, porém ocorreram falhas e acabamos perdendo muitos pontos.

A comissão deste ano foi "puro amor". Como foi o processo de criação?

Foi muito difícil, entraram alguns componentes novos o que faz a preparação ser um pouco diferenciada, até pela troca de coreógrafo que tivemos também, afinal é outro trabalho, outra disciplina. Tivemos o desafio esse ano transformar 3 integrantes em baluartes consagrados da nossa escola. É muita responsabilidade, afinal eles foram muito mais do que baluartes do Camisa Verde, foram baluartes do samba paulistano. Os 3 integrantes muito bem caracterizado, desempenharam com muita maestria todos os trejeitos dos personagens.

Ocorreu tudo como planejado na avenida?

Infelizmente não. Tivemos alguns problemas de quebra de fantasia que infelizmente acabou nos prejudicando um pouco. Mas no geral saiu como queríamos.

Impossível não falar sobre a confusão que aconteceu durante a apuração deste ano e o pior é que o tumulto se deu exatamente durante a leitura das notas de comissão de frente. Como você recebeu essas notícias? E como o grupo reagiu? Afinal vcs ficaram sem saber parte das notas.

Com muita tristeza. O samba não merece isso. O carnaval de São Paulo não merecia uma confusão dessas. Foram feito desfiles belíssimos. Porém uma escola só pode ganhar e não é rasgando notas, chutando, quebrando tudo que vai ganhar o carnaval. Quer ganhar o carnaval então se prepare para tal. E ficamos tristes pois era bem as notas de Comissão de Frente, todas as comissões trabalharam duro pra fazer um belo desfile, e nem o resultado final das apresentações não ficamos sabendo. É muito importante a divulgação das nossas notas, para podermos comemorar, ou simplesmente ver onde erramos, para que possamos trabalhar em cima de nossos erros. Mas infelizmente tudo isso se perdeu.

E as expectativas para o próximo ano? A escola infelizmente foi rebaixada. Você permanece na camisa verde e branco?

As expectativas são as melhores possíveis, a escola sabe onde errou e está tomando as devidas providências para melhorar, a escola foi rebaixada mais não caímos, estamos em pé e com vontade de melhorar e vencer. Permaneço sim na Camisa Verde e Branco e na Comissão de Frente. Irei para mais um ano com muita dedicação indo para o 13º ano na Comissão de Frente e o 15º ano de desfile no Anhembi, sempre pela mesma escola o que eu acho extremamente importante.

Fique a vontade para nos dizer o que quiser. Contar curiosidades, fatos marcantes... 
Este espaço é seu!

Já passei por diversos momentos dentro do carnaval, momentos de muita felicidade e de muita tristeza também, ambas as situações me fizeram crescer muito. Aprendi muito com todas pessoas que já passaram por esse time maravilhoso. Entrei uma criança e hoje sou um homem, adquiri uma tremenda experiência como comissão de frente, não só lá dentro dançando mas sim na vida. Hoje somos amigos fora do carnaval, onde a maioria frequenta minha casa na hora que quiserem, onde fiz mais do que amigos e sim irmãos pra vida inteira.


Agradeço a Yaskara Manzini minha primeira coreógrafa que me ensinou muita coisa como comissão de frente e também na vida.


É por esse time que me esforço todos os anos, brigo todos os anos pra que tenhamos o melhor possível. Hoje se tenho o respeito dos meus companheiros foi por tudo que fiz e pela pessoa que sou e não somente por ser o mais antigo do time.


Claro que já cometi vários erros, mas graças a Deus tive um time forte e unido pra me abraçar,me orientar e me colocar pra cima novamente.
Sendo assim dedico esse espaço para todas as pessoas que fizeram parte dessa história da nossa Comissão de Frente do Camisa Verde e Branco e em especial aos atuais, afinal independentemente de tempo de avenida, todos são importantes.
Obrigado Ismael Toledo, Igor Vinicius, Darlan, Wallace, Sayrê, Ed, Fô, Léo, Fabiano, Pool, Rafael, Diogo, Biel, Smill, Cauê, Adriana, Marquinhos e Boaz Alberto.



UM POR TODOS
TODOS POR UM
QUEM VENCE?
CAMISA CAMISA CAMISA.

Em 2013, Junior estará no comando da comissão de frente.

Junior e suas comissões:

2001
Guerreiros Mongóis - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2002 
Os Doendes – Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2003
 O Grande Dragão do Mar - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2004 
Yaskara Manzini - CAMISA VERDE
 Cada integrante representava um título da escola em homenagem aos 50 anos do Camisa Verde e Branco 

2005
Indíos e Africanos - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2006 
Os Faunos - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2007 
Indios - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2008 
Homens e Mulheres da Caverna - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2009
Os Malandros - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2010
 Guerreiros do Olimpo - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE

2011 
Fantasmas da Paulista - Yaskara Manzini - CAMISA VERDE


2012  
Arcanjos – Ismael Toledo - CAMISA VERDE


FOTOS: Acervo Pessoal

Um comentário:

  1. Muito obrigado a toda equipe do Blog. Fiquei emocionado comigo mesmo rs. Parabéns trabalho excelente, me sinto sinceramente honrado por tudo isso e feliz em saber que vcs preservam a nossa raíz e nosso trabalho de ser comissão de frente.
    Obrigado novamente.

    Abraçosss!!!

    JR.

    ResponderExcluir