Aqui elas dão show!

Loading...

quarta-feira, 9 de maio de 2012

SOU COMPONENTE - Leandro Pedrozo

O Atendente da Policlínica de Uruguaiana, Leandro Ferreira Pedrozo, 20 anos, uma vez por ano doa parte do seu tempo à comissão de frente da Escola Deu Chucha na Zebra.

O interesse surgiu quando ainda garoto foi levado por um primo, integrante da comissão de frente da Ilha do Marduque à concentração da escola.


"Fiquei impressionado quando vi a importância que eles tinham para a escola e a vontade deles de entrar na avenida para defender seu pavilhão. A dança e interpretação dos personagens me deram a certeza de que um dia teria ao menos que tentar desfilar em alguma comissão."

São Miguel 2010
Em 2010, a Acadêmicos de São Miguel estava a procura de novos componentes para a sua comissão e avisado por amigos, Leandro não pensou duas vezes e foi participar do teste com o coreógrafo Renato da Rosa.

"Passei e fiquei! E logo começamos os ensaios para o enredo sobre a medicina, onde representamos guerreiros gregos. Foi um desfile marcante e apesar dos problemas que a sonorização nos proporcionou, deu tudo certo."

No ano seguinte Leandro mudou de casa, foi para a comissão de frente da sua escola de coração, a Deu Chucha na Zebra.

"Em 2011, era pra eu sair em outra escola com o coreógrafo Renato da Rosa, mas no meio dos ensaios, infelizmente a escola decidiu recindir o contrato com ele. Foi aí que recebi o convite de um dos componentes para fazer parte do grupo da "Deu Chucha". Quando cheguei na escola o grupo já estava praticamente fechado, por isso não fiz parte da seleção.
Os ensaios começam antes mesmo da escola lançar o enredo, aproximadamente cinco meses antes, lembrando que o nosso carnaval é fora de época, em março. Ensaiamos na quadra pela parte da tarde onde iniciamos o entrosamento do grupo. Já com o enredo definido, os ensaios começam a ser em local privado, onde inicia a criação da coreografia. A coreógrafa Paola Soares nos passa a idéia e começamos a desenvolvê-la, geralmente surgem idéias dos componentes que são adotadas pela coreógrafa formando a coreografia do grupo. Neste desfile representamos guerreiros N'golos que faziam a dança da zebra que virou capoeira. Foi um grande desfile, marcado pela raça do grupo, pois tivemos um grande problema com a fantasia. Fomos pra avenida com fantasias confeccionadas por nós mesmos."
Deu Chucha na Zebra 2011 
Este ano continuou na Deu Chucha na Zebra, onde foram pra a avenida representando "os guardiões do samba". Mas Leandro conta que o desfile mais marcante foi o de estréia na Acadêmicos de São Miguel.
Deu Chucha na Zebra 2012
"Sabe aquela história de que 'a primeira vez a gente nunca esquece'. Naquela noite houve um fato que me arrepia até hoje. Estávamos quase na metade da passarela perto do módulo dos jurados, quando o som da avenida parou completamente, ficamos entregues aos leões, mas o grupo foi guerreiro e continuamos com a coreografia. O canto que já era alto, se tornou ensurdecedor! O público reconheceu nossa garra com gritos de bravo! Lindo! Dez! Aplausos! Me orgulho em dizer que hoje estou na comissão da minha escola de coração!"

Leandro acha a concentração o momento mais importante antes do desfile. O grupo se encontra a tarde para fazer os últimos ajustes na fantasia. Todos se reúnem num clima descontraído, afim de espantar o nervosismo e celebrar o encontro do grupo. Há espaço também, para os conselhos dos veteranos que procuram tranquilizar os novatos. Supersticioso, após a oração em grupo, Leandro se reserva para as preces pessoais e na hora de entrar na avenida não esquece de pisar sempre com o pé direito.

Quando o assunto é a apresentação das comissões, diz que acha as mudanças magníficas e surpreendentes, mas confessa estar preocupado com o rumo das coreografias.

"Tenho medo que a interpretação deixe de lado a dança, acho incrível quando os componentes 'incorporam' o personagem, mas me preocupo ao pensar que isso pode fazer com que as comissões passem a ser apenas teatro, deixando de lado a dança. Os dois devem andar juntos como num musical."

Falando do uso dos tripés, declara ser uma ferramenta favorável às comissões por contribuírem plasticamente, porém, considera um recurso de duplo risco se sua utilização não for integrada à coreografia. Segundo ele, os coreógrafos precisam criar uma interação tão grande ao ponto de que ele seja realmente indispensável para a apresentação.

Apesar de nunca ter desfilado pela Escola Cova da Onça, considera a Cristina Fernandes, a coreógrafa de maior destaque  nos desfiles de Uruguaiana e no Rio de Janeiro é admirador de vários, mas se diz fã de Jorge Teixeira, atualmente na Grande Rio.

Mas quem pensa que Leandro é um componente exclusivo do carnaval de Uruguaiana se engana, pois ele também foi integrante de duas comissões de frente na Argentina, a Zum Zum em 2011 e a Tradicion em 2012, ambas escolas de Paso de Los Libres, cidade da província de Corrientes, que faz fronteira com o Brasil, margeando o rio Uruguai.

Veja apresentação da comissão de frente da Zum Zum - Argentina 2011:

Tradicion - Argentina 2012

"Aproveito este espaço para falar a todos os componentes que continuem fazendo de tudo para proteger o seu pavilhão e para melhor representá-lo. Não deixem o samba e a dança da comissão morrer, vamos inovar sim, mas sempre respeitando a dança. 
Deixo o meu convite para que acompanhem o nosso carnaval, que é modesto comparado ao do Rio, mas que segundo os profissionais que vem de lá para trabalhar, o desfile é o terceiro melhor do Brasil e com certeza o melhor do Rio Grande do Sul. Nosso carnaval conta com profissionais vindos do Salgueiro, União da Ilha, Grande Rio, Vila Isabel, Porto da Pedra, Tijuca, São Clemente, Beija Flor e por aí vai...

Emocionante com certeza, é quando estou na concentração da avenida e diante mim vejo aquele público aguardando a nossa entrada pra começar a festa e ao olhar para trás vejo a escola formada e emocionada para o desfile."

FOTOS: Arquivo pessoal e Valéria Del Cueto para o jornal Samba Sul 

Nenhum comentário:

Postar um comentário