Aqui elas dão show!

Loading...

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ARTIGO - Márcio Moura declara seu amor pela arte e respeito ao pavilhão da Portela

O ABRE ALASPor Fernanda Frantz - Publicado em 6 / 4 / 2012



OABREALAS queria contar quem é o Márcio Alexandre de Oliveira A. Moura que tem feito, na Portela, insinuações teatrais em conformidade à coreografias que casam com o enredo proposto e no desfile transforma avenida num palco onde: os principais do grupo têm por nome comunidade e a estrela maior é uma águia. Esta é a conhecida Águia Altaneira da Portela, sendo assim, ele se apresentou:
“Bom, dizem que quem faz tudo acaba não fazendo nada direito não é? Mas, no meu caso, as minhas qualidades artísticas estão, exatamente, na pluralidade. Minha primeira relação com a dança se teve no contato com a bailarina Luciane Ramos com quem dei meus primeiros passos e com quem dividi o palco em um ambicioso projeto de teatro musical  chamado “Palace’ em São Paulo.
Depois, já no Rio de Janeiro, tive o prazer de fazer parte de um projeto de formação de bailarinos no Centro de Artes Nós da Dança dirigido por Fernando Filetto e Regina Sauer, esta, também coreógrafa de Comissões de Frente em outras agremiações.
Nesse período, quando já estava formado em Artes Cênicas - pela Univercidade do Rio de Janeiro -, e fazia parte da Cia de Teatro Etc e Tal - de onde sou gestor e ator até hoje-, fui, junto com meus companheiros Álvaro Assad e Melissa Teles Lobo me apresentar em  quase todos os estados do Brasil, além de países como Argentina, Paraguai, Portugal, Dinamarca, Alemanha , França colecionando mais de 35 prêmios nessa trajetória que vai completar 20 anos em 2013.” - Márcio Moura

Encontro com o samba
Para colocar os pés dele no caminho da grande festa ele teve que ser descoberto enquanto fazia aula de dança em uma academia no méier e ao ser indicado, pelo professor, para desfilar na Viradouro, que precisava de homens altos, Márcio deu, sem querer, o pontapé para o casamento com o carnaval.
Eu nunca tinha desfilado na minha vida. Não tinha a menor idéia de como seria, mas resolvi ver do que se tratava. Fui até o barracão, ainda na zona portuária e me descobri numa seleção para Comissão de Frente - continuava sem saber que função era essa-, meu envolvimento com carnaval era somente pela televisão. Quando o carnavalesco apareceu, lembro de me sentir um gado sendo avaliado para o abate (risos). Após responder qual a minha altura, ele pediu que a coreógrafa Jussara Pádua se baseasse no meu porte para formar o grupo.


Essa chegada na Viradouro tem sua marca, mais do que especial, por que o carnavalesco em questão era o saudoso Joãozinho Trinta. Dedicado, Márcio passou a trabalhar como pivô e auxiliar coreográfico por 4 anos até que, em  2004 , a convite de Mauro Quintaes, conduziu seu primeiro trabalho coreográfico na vermelha e branca de niterói.
Fiquei responsável por 9 homens que formaram a palavra VIRADOURO em frente ao carro abre alas. Enquanto isso, Jussara Padua assumiu a comissão de frente do Imperrio Serrano, onde fui assistente e também dancei.”

Com o reconhecimento por sua postura e sucesso na primeira experiência, surgiram convites de outras agremiações como o próprio Império Serrano, Caprichosos de Pilares, Mocidade Independente de Padre Miguel, Porto da Pedra e  Vila Isabel.
No entanto, em 2009, sua carreira na função de líder a frente de Comissões de Frente começou a ganhar força, convidado por Pedro Aridio e Fabio Ricardo, junto com Celeste Lima, ele foi coreografar a Rocinha no enredo "Tem Francesinha no Salão...", conquistou o posto continuando no ano seguinte com “Ycamiabas” e depois embarcou na dobradinha Caprichosos de Pilares e Portela.
Muito sincero em suas declarações, Márcio disse o que pensa sobre buscar inspiração em alguém durante o processo de amadurecimento:
Confesso que, no carnaval, em minha área de atuação em especial, não me inspiro em ninguém. Mas,  admiro as pessoas que conseguem trabalhar nessa grande festa conseguindo lidar com o assédio doido, momentâneo, efêmero e que, mesmo assim, se mantem acessíveis, humildes e humanos. Esses sim... serão sempre meus exemplos de vida!”

Carnaval 2012
No desfile de 2012 a Portela viveu um momento de orgulho, mas alguns detalhes foram criticados pela comissão julgadora e a agremiação ficou em sexto lugar no ranking das campeãs. Esta semana foi divulgado o mapa de notas e as justificativas dos membros da comissão, inteirado sobre as observações publicadas ele falou:
Olha, isso é tão polêmico... E polemizar é pior ainda? (risos) Mas, vamos lá.  Acho a função dos jurados muito ingrata. Definir parâmetros para apresentações tão diferentes deve ser algo, realmente, complicado; mas ninguém é obrigado a estar ali. Nem eles nem, nem nós. Contudo, acredito que meu trabalho nunca poderá ser tomado como base de opinião numa reavaliação para o ano seguinte, salvo problemas técnicos.
Eu explico: Se todos os jurados dizem que minha estrutura esta mal acabada, que eu não interagi com ela. Aí sim... na próxima vez...teremos mais cuidado. Agora, se um jurado diz que eu dancei demais, o outro diz que eu dancei de menos - sendo simplista-, aí fica impossível.”
Quanto à estrutura que regula o julgamento das agremiações no desfile do Grupo Especial ele concluiu:
“Acho que o caderno Abre Alas deveria ser repensado. Explicar tudo o que vai acontecer na comissão seria realmente importante? Será que isso já não cria um pré conceito no que vai ser apresento? Será que o ideal não seria assistir como um espectador comum, com a mesma energia e o mesmo olhar do inédito? Enfim, discussões a parte, sempre haverá parecer que cause choro e reclamação.
A preocupação com a base das justificativas estaria só nessa falta de elementos para parâmetros. Se não tivemos erros como queda de acessórios, vira só uma questão de afinidade. Um jurado tirar dois décimos e o outro dar um décimo de bônus complica demais a mente de um artista criador.” (risos)


Independente de qualquer resultado, Márcio Moura é muito querido pela  comunidade que defende o pavilhão da Águia de Madureira.  No comando da comissão de frente, de carros alegóricos e alas de passo marcado ele passa por toda avenida colhendo resultados da colaboração de uma equipe de assistentes e de componentes dispostos a concretizar o projeto com garra. Ele declarou ao OABREALAS como é seu caso de amor com a escola.

A Portela é uma escola apaixonante. Fui entender  sua real força no meu primeiro desfile, em 2009, com o enredo “E por fala r em amor, onde anda você?”, vi pessoas se dirigindo até o carro abre alas, colocando as mãos na Águia e fazendo o sinal da cruz aquilo pra mim foi inesquecível! O Portelense é visceral!! Aprendi isso a duras penas em um  momento te amam, em outro te odeiam! (risos) No meu primeiro ano de gestão da Comissão de Frente- quando a escola perdeu as composições alegóricas e fantasias no incêndio do barracão na Cidade do Samba - fui massacrado.
Passei do nível de aceitação +100 - pois fazia um trabalho muito forte nas alas-, para menos 100.  Mas, aprendi que muitas vezes é um amor incondicional, irracional. E por ser irracional, as vezes é raiva também.
Com o tempo, você vai conquistando seu espaço e mostrando que está ali para ajudar, eles vão te aceitando de novo e vão te olhando desconfiados (risos).
Hoje eu amo essa escola. Luto muito por ela. Esse ano quase morei no barracão para que tudo saísse da melhor forma possível. Acho que ainda faltam caminhos a trilhar e pessoas a conquistar, mas tenho tempo para isso, tenho força de trabalho para isso e, acima de tudo, tenho vontade.”


Nesses meses em que os profissionais do carnaval parecem estar de férias, os artistas retomam suas atividades e com o ator e produtor Márcio Moura não é diferente. Ele está viajando com a Cia de Teatro Etc e Tal em turnê pelo interior de São Paulo apresentando alguns espetáculos, coreografando episódios do programa  " A Grande Família" da Tv Globo e, recentemente, renovou o contrato com a Portela onde permanecerá dirigindo os trabalhos com a Comissão de Frente e coordenando a equipe de coreógrafos assistentes que conduzem as alas e alegorias de passo marcado. O produtor contou ainda que está prestes a pôr no ar um site que servirá de canal para quem quiser interagir com ele em qualquer época ano "www.marciomoura.com".
Mesmo conquistando o campeonato com a Caprichosos de Pilares, que voltou ao Grupo de Acesso A, ele não é mais o responsável pela Comissão de Frente e sem rusgas a apurar, um ciclo se fechou com votos de sorte a agremiação no carnaval 2013 e uma carta com demonstrações e carinho e respeito.


" QUERIDOS AMIGOS DA  CAPRICHOSOS DE PILARES,
Queria antes de qualquer coisa agradecer ao presidente Cezar Thadeu pela maravilhosa oportunidade de estar no comando da Comissão de Frente do Carnaval 2012 da Nova Caprichosos de Pilares. Foi uma enorme emoção poder contribuir com meu trabalho para o campeonato, para os prêmios, e ainda mais, poder auxiliar  ao grande amigo e carnavalesco Amauri Santos em seu trabalho brilhante.
Jamais vou esquecer a forma carinhosa com que fui tratado por todos os integrantes dessa agremiação e tenho certeza que  lá ficam grandes e valiosos amigos. 
Deixo o comando da Comissão de frente da Caprichososs de Pilares com a enorme sensação de dever cumprido. Mas a vida é feita de ciclos. E esse se encerra para que outros possam iniciar. Tenho certeza que maravilhosas surpresas surgirão pra mim e para essa agremiação que em breve estara retornanado para o lugar de onde jamais deveria ter saido: entre a elite das escolas de samba do carnaval do Rio de Janeiro.
Não digo um adeus...e sim um até breve!


Perguntamos ao bailarino o que significa gerir um quesito de tamanha importância e paralelo a isso trabalhar as evoluções de carros e alas, que somam um contingente com mais de 300 pessoas, numa agremiação com tanto peso cultural e paixão como a Portela e ele, sem gaguejar respondeu:
Gratidão e respeito são duas palavras que representam muito para mim dentro da Portela. Sou muito grato ao Presidente Nilo Figueiredo por permitir que eu faça meu trabalho dentro de uma das mais tradicionais agremiações do pais. É um orgulho ter meu nome vinculado à Portela e com certeza um honra para qualquer coreógrafo estar a frente dessa escola.
E respeito pois nunca, em momento algum, nesses 4 anos que estou na Portela, tive minha criatividade tolhida ou bloqueada . Sempre fiz e coloquei em prática minhas idéias artísticas na avenida. 
Toda vez que entro na Marquês, vejo a Águia e escuto o som é indescritível. Sei o peso e a responsabilidade que carrego, mas isso não me assusta. Aliás, isso me motiva a pesquisar, a buscar mais, a procurar caminhos e apresentar o meu melhor para o trabalho e para a agremiação.”

Um comentário:

  1. Esse cara ainda vai nos dar muitas alegrias e nos abrilhantar com belissimas apresentações, esteja ele onde estiver, sim pois ele é um profissional e merece respeito independente de onde estiver trabalhando. PARABÉNS AMIGO!!!

    ResponderExcluir