Aqui elas dão show!

Loading...

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Comissões de frente 2013 - RJ






Em 2013, a Vila Isabel mostrou a força do grande samba que a colocou como favorita ao título desde a sua escolha. Favoritismo que se manteve e rendeu um belíssimo desfile digno de campeã.





* As notas destacadas foram descartadas
INOCENTES DE BELFORD ROXO
Responsável pela Comissão de Frente: Patrick Carvalho
Coreógrafo e Diretor: Patrick Carvalho, Henry Antero e Adriana Magalhães

Nos primórdios da história coreana sua península foi a ponte entre a cultura e as ideias da China e do Japão. Muitos elementos da Cultura Coreana representam um estado de transição entre estes vizinhos. Em dois momentos a Coreia prestou vassalagem à China, entre 1368-1644 à dinastia Ming e entre 1644-1910 à dinastia Manchu. A influência chinesa se faz perceber em vários aspectos, na religiosidade, com o Budismo e o Confucionismo, nas lutas marciais, e na astrologia.
A astrologia coreana, em tudo similar à chinesa, é baseada nos anos lunares, não o sol como no nosso horóscopo, e na filosofia budista. Segundo a lenda, Buda convocou todos os animais para uma reunião, mas apenas 12 atenderam a seu chamado. Como prêmio, Buda ofereceu a cada um deles um ano, dando-lhes o poder para influenciar a vida das pessoas e os acontecimentos do dia-a-dia. Cada ciclo dura 60 anos e a cada 12 anos os signos se repetem, porém acompanhados de um elemento mítico diferente (metal, madeira, água, fogo e terra).
A importância deste zodíaco na cultura coreana pode ser percebida pelas representações dos 12 animais representativos dos signos que estão localizados na entrada do Museu Nacional de Cultura Folclórica em Seul.

A Comissão de Frente da Inocentes de Belford Roxo vem representando o horóscopo dos coreanos, com os 12 animais do zodíaco oriental representados, que irão mostrar suas características de forma lúdica, interagindo com a plateia.

No dia 10 de fevereiro, dia do desfile da escola, corre o ano 4711 do calendário lunar e a data de transição do ano do dragão para o ano da serpente.  Por este motivo, para pontuar a mudança astrológica, a Inocentes de Belford Roxo, um núcleo destacado da comissão de frente, apresenta duas cenas coreográficas simultâneas; a do Dragão, com seu estilo combativo e direto e a da Serpente,  voltada para o equilíbrio e a flexibilidade.  Movimentos do taekwon-do, luta coreana muito difundida no Brasil, a partir da colônia paulista, são utilizados pelos bailarinos, pontuando o caráter contemporâneo da dança.


ACADÊMICOS DO SALGUEIRO
Responsável pela Comissão de Frente: Hélio Bejani
Coreógrafo e Diretor: Hélio Bejani
Outras informações julgadas necessárias:
O Coreógrafo – A estreia de Hélio Bejani, ex-primeiro bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e atual diretor do corpo de balé do Theatro, no carnaval foi como componente da comissão de frente da União da Ilha em 1991. Em 2004, fez o trabalho coreográfico do 1º Casal de Mestre Sala e Porta Bandeira da Mangueira. Em 2006 e 2007 foi assistente da bailarina e coreógrafa Ana Botafogo nas comissões de frente da Mocidade Independente e Vila Isabel, respectivamente.
Em 2008, foi convidado pelo Salgueiro para assumir o comando da comissão de frente da escola. Com um trabalho baseado na união entre a dança e o teatro, e contando com uma equipe formada pela produtora Rosane Machado e pelas assistentes Elizabeth Tinoco e Adriana Salomão, Bejani já apresentou algumas das melhores e mais criativas comissões de frente do carnaval, tendo recebido diversos prêmios por seu trabalho na avenida.
Os componentes  – Alex Rangel, Alexandre Sylva, Alison Moreira, Anderson Aguiar, Erick Cardoso, Fábio Albuquerque, Demerson D´Álvaro, Douglas Lima, Fábio Sant´Anna, Jhonathan Gomes, Marcelo Sylva, Marcelo Torreão, Michel Oliveira, Mike Vieira, Thiago Paixão e Rodrigo Bahiano.

A Fantasia – A Nossa Divina Comédia da Fama
Cada passo é um acontecimento. Cada sorriso, um flash! Vale tudo para captar o melhor ângulo da celebridade, aquela imagem exclusiva, o instante de distração que vai render “a” foto. Mas ela vem muito bem escoltada e protegida, o que só aumenta o frisson. É bom não chegar muito perto...
Nessa cena onde o céu do reconhecimento e o inferno do ostracismo não estão lá tão distantes, vale tudo, até tentar tirar uma casquinha da fama alheia. Mas o que separa o estrelato do esquecimento?
Tudo parece um grande show de calouros, onde a disputa é por flashes, olhares e aplausos.
A ascensão e queda de uma estrela pode acontecer rápido como um clique. E se o pecado mora ao lado, a glória e o declínio também. É a nossa Divina Comédia da Fama, que produz e desfaz celebridades a todo instante nos mais inusitados palcos da vida.


UNIDOS DA TIJUCA
Coreógrafos: Priscilla Mota e Rodrigo Negri
Nome da Fantasia: O PODEROSO THOR

Thor, o mais destemido dos deuses, é o único capaz de cumprir o desejo de Odin e anunciar a Alemanha encantada. Além da força e da resistência descomunais, conta com a mais poderosa das armas divinas, para realizar sua missão: o martelo Mjollnir e seus misteriosos encantamentos. A comissão de frente da Tijuca mostra que apenas esse guerreiro possui tanto poder e a Sapucaí vai se surpreender com sua força!

Outras informações:
Direção e Coreografia – Priscilla Mota e Rodrigo Negri
15 componentes (Pivô – Fabrício Negri)
Preparação Teatral – Paulo Barros
Figurinista – Paulo Barros
Criação da Maquiagem e Caracterização – Priscilla Mota
Produção – Tenara Gabriela e Luis Kerche

Priscilla e Rodrigo são, juntos, coreógrafos da Comissão de Frente da Unidos da Tijuca, desde 2008, quando receberam o prêmio da Rádio de melhor Comissão naquele ano. E, em 2010, os prêmios: Estandarte de Ouro, Tamborim de Ouro, Estrelas do Carnaval, Rádio Tupi, Rádio Manchete e Plumas e Paetês. Eles continuam apresentando, por todo o Brasil, o número realizado no desfile que consagrou a Unidos da Tijuca como campeã do Carnaval 2010, participando de grandes eventos e, principalmente, levando e divulgando o Carnaval, em eventos como; Liga Mundial de Vôlei, Premiação da CBF, Olimpíadas do Conhecimento, 100 Anos de Docas, Salão do Automóvel, entre outros, além de duas apresentações para o então presidente Lula.

Priscilla Mota  é coreógrafa e bailarina solista do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, formada pela Escola de Danças Maria Olenewa e teve aulas de História da Arte, Música, Terminologia do Movimento e Composição Coreográfica. Graduou-se também em Jazz, Sapateado, Dança Contemporânea, Dança Flamenca e Folclórica. Constam em seu repertório todos os grandes balés internacionais. Foi convidada a participar do Panorama de Dança Contemporânea do Rio de Janeiro, em 2008. Obteve prêmios de melhor bailarina em concursos nacionais e internacionais. Aperfeiçoou seus estudos de dança, na Argentina. Participa como convidada de diversas Galas e Festivais pelo Brasil. Já desenvolveu trabalhos de dança para cinema e publicidade. Bailarina do Grupo de Dança DC. Trabalhou como assistente do coreógrafo Rodrigo Negri, no espetáculo Choros e Valsas - Um Tributo à Pixinguinha, eleito pelo JB um dos melhores espetáculos de 2006. Obteve o 1º lugar pelo Conselho Brasileiro da Dança, por uma de suas coreografias. No Carnaval carioca, foi assistente e ensaiadora, nas Comissões de Frente da Tradição, Unidos da Tijuca e Viradouro, respectivamente.
Rodrigo Negri, apontado como um dos coreógrafos mais talentosos da geração, é bailarino solista do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Sua formação eclética inclui ballet clássico, jazz, sapateado americano e dança contemporânea, tendo como mestres: Márcia Marques, Steven Harper, Roseli Rodrigues, Tatiana Leskova, Eugenia Feodorova, Hortência Móllo e Denis Gray. Foi bailarino Revelação no Festival de Dança de Joinville e 1º colocado no concurso de admissão para o Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Coreografou para o Grupo de Dança D.C, sucesso de público e crítica no Brasil e na Europa. Para a Cia. de Ballet da Cidade de Niterói, criou os espetáculos Uma Noite com Cole Porter, sob direção de Claudio Botelho e Charles Moeller, e Choros – Tributo a Pixinguinha, eleito pela crítica do Jornal do Brasil como um dos dez melhores espetáculos de dança de 2006, que, em 2008, realizou turnê pela Alemanha. Fez coreografia especial para Ana Botafogo, em seu espetáculo Ana In Concert, além de trabalhos para o Theatro Municipal, como as óperas Rigoletto, sob direção de Diva Pierante, e Um Baile de Máscaras, com direção do aclamado Aderbal Freire Filho, e outras peças que já integram o repertório da Companhia. Foi convidado para coreografar o Projeto Solos do SESC. Ministra oficinas de composição coreográfica no Festival de Danças de Joinville. Começou sua carreira no Carnaval carioca, em 2005, como assistente de 
coreografia na Tradição. Teve passagem pelo Salgueiro, em 2006, e, em 2007, assumiu pela primeira vez o posto de coreógrafo pela Portela.


UNIÃO DA ILHA
Coreógrafo: Sérgio Lobato

DEFESA DA COMISSÃO DE FRENTE:
Fantasia: “ENCONTRO COM O POETA”,  trata-se de extrair parte do universo de Vinícius de Moraes: 
com sua brasilidade, seja ela carioca ou baiana, revelada em versos e prosas, na literatura, teatro e cinema. Dos poemas infantis às paixões mais ardentes. Noite e boemia. Seremos contaminados de amor e poesia.

ELEMENTO CENOGRÁFICO: Como apoio cenográfico a comissão de frente contará com  três  quadripés que tem a função de complementar o conceito coreográfico criado para tal.

HISTÓRICO DO COREÓGRAFO: SERGIO LOBATO - Natural  do Rio de Janeiro, Sérgio é coreógrafo, professor e ensaiador. Atualmente trabalha no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde foi Maitre há alguns anos, sendo convidado para retornar no ano de 2011. Foi diretor artístico do Ballet Bolshoi no Brasil por 3 anos. Trabalhou com diversas estrelas Russas da atualidade, assim como renomados coreógrafos. No Theatro Municipal, além de aulas para a companhia, ensaia as grandes estrelas do corpo de baile. Iniciou-se no carnaval no ano de 2005 na Escola de Samba Tradição, criando e desenvolvendo a coreografia “China”. Em 2006 trabalhou na Unidos da Tijuca, criando a comissão “Mozarts”. De 2007 á 2010 na Unidos do Viradouro, com os trabalhos: “Os Coringas”; “Homem de Gelo”; “A luta do biodiesel contra o combustível fóssil” e “Frida Kahlo”. Em 2011 na Acadêmicos da Rocinha, com a coreografia  “Anjos”. Coreógrafo da União da Ilha desde o ano passado, 2012, com a comissão “Deus salve a Ilha”

PREMIAÇÕES:
SHOW DE ABERTURA (JORNAL O DIA)
RADIO TUPY
PLUMAS E PAETES
SAMBANET 2012
ESTANDARTE DE OURO
PLUMAS E PAETES
SAMBANET
ESTRELA DO CARNAVAL
JORGE LAFOND

Componentes da Comissão de Frente:
ANA FLORA, MARIA LUIZA RAIA,FRANCINE ALBERNAZ, MARIANA RANGEL, FLÁVIA CARLOS, ARETHA MELLO, EDNEY DCONT, MICHEL LEONE, BRUNO FERNANDES, LEONARDO CALVO, ANDRÉ LUCIO DE OLIVEIRA, RODRIGO AVELLAR, FERNANDO LAURITO, MARIO DIMITRI ELSON, CRISTHYAN PIMENTEL
 Suplentes: LUAN LIMOEIRO e ANDRÉ LUIZ VALIM

Equipe Técnica:
Assistentes: MARCELA GIL E PAULA MENDES
Cenógrafo: Ronald Teixeira
Figurinista: Marilda Fontes


MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL
Coreógrafo: Jaime Aroxa
Ensaiadora – Fabiane Cavalcante
Figurinista – Júnior Barata
Confecção – Fernando Magalhães
Ferreiro – Alan
Adereço – Jamison
Direção de Arte – Daniele Oliveira

O Tema
O espectro de uma guitarra se ilumina no céu, como um sonho ou delírio daquele que é o representante mais legítimo do rock and roll no Brasil: Serguei. O roqueiro, que no alto dos seus 80 anos, testemunha o encontro, até então, inusitado do Rock com o Samba. A mistura do “Chiclete com Banana”, que se materializa à sua frente como um grande show; um caleidoscópio a fundir os dois ritmos, traduzidos pela dinâmica de seus passos e acrobacias, retratando estas danças e a sua evolução que atravessou décadas de Woodstock ao Rock in Rio. Na inspiração de agregar várias tribos, celebrando a diversidade, a união das diferenças através da música num mesmo pensamento bom: “Por um mundo melhor”, como se a vida  começasse agora e a gente não parasse de cantar, de se amar e se dar, mesmo que seja apenas neste momento.
No desfile da Mocidade que corajosamente e com orgulho se despe de preconceitos e abre seu coração para receber o Rock no palco de Samba.


PORTELA
Coreógrafo: Márcio Moura
Márcio Moura é diretor cênico e coreográfico. Diretor Coreográfico da Rede Globo de Televisão. 
Gestor e criador do Centro Teatral e Etc. e tal, principal Cia de Teatro Físico do país. Ganhador de 
mais de 30 prêmios nesses 20 anos de atuação e esteve em circulação por quase todas as cidades do 
Brasil e em países como Argentina, Paraguai, Portugal, Dinamarca, Alemanha e França.
Responsável pela Comissão de Frente da Portela desde 2011, neste ano agrega  à sua apresentação 
um dos mais importantes Maquiadores do cenário artístico do nosso país: Beto Carramanhos.

A Comissão: TREM DE LUXO
O título da Comissão de Frente da Portela, por si só, já explica os dois momentos do desenvolvimento do trabalho na avenida. No primeiro teremos um Trem, transporte responsável pelo crescimento e desenvolvimento do bairro, e junto a ele um grupo de cinco malandros (representando o tão famoso “savoir faire” do suburbano); um senhor refinado e seus 09 carregadores de mala.
No segundo momento esse trem se transforma em um “camarim/palco” onde veremos a representação de um pequeno momento do “Teatro de Madureira", palco de celebres espetáculos e que tinha como sua musa a primeira vedete do subúrbio carioca: Zaquia Jorge. Tudo será feito a vista do público: A montagem do teatro, a preparação das “dançarinas”, o surgimento do mestre de cerimônias do cabaré. Todos serão ao mesmo tempo artistas, público e técnicos!  Tudo meticulosamente preparado para a apresentação de Zaquia.  Da mesma forma que foi quando em meados dos anos 50 ela estreava com enorme sucesso o espetáculo “Trem de luxo”.
Abram se as cortinas.
Abre a Roda... Chegou Madureira!


SÃO CLEMENTE
Coreógrafo: Renato Vieira
Nome da fantasia: Espelho Mágico

E o sucesso dos folhetins se deu por conta dos telespectadores, eles que sempre elevaram ou não os índices de audiência, apontando quais foram os grandes sucessos da teledramaturgia. Com o tempo autores foram percebendo os costumes, gostos e o que realmente atraia a atenção do povo.
Dessa forma, surge em nossos olhos o espelho mágico, meio de encanto e magia dessa caixa preta de emoções!
Reviveremos grandes momentos da Televisão Brasileira que ficaram marcados no espelho mágico do nosso coração.Das mãos do câmera-man e da ação do Diretor, fique ligado, grandes momentos vamos recordar!
Quem não riu com o excêntrico casal Porcina e Sinhozinho Malta da pequena cidade de Asa Branca, terra de Roque Santeiro, o homem debaixo de um santo?
É magia! Surge o Astro na sua televisão e na mesma nuvem de fumaça eis que aparece a bela Júlia de Dancing Days requebrando na nossa frente. Preste atenção, pois num piscar de olhos, tudo muda e eis que veremos a sensual Gabriela à seduzir...
E a paixão? O Amor? Encanto e conto de fadas no romance de Jesuíno e Sucena aquecendo corações.
Quem não se lembra da perspicácia de Tieta ao arrancar a peruca de Perpetua?
Não esqueceremos também do sofrimento da doce Isaura na Casa Grande e na Senzala.
E direto de Bole Bole, a simpática Dona Redonda! Será que ela vai explodir?
Cuidado que você pode estar sendo vigiado ou seguido! O Brasil parou e todos estão tentando descobrir quem matou Odete! Será que foi a Carminha?

Sobre a Coreografia
Desde a escolha do enredo pensamos em uma coreografia com a  cara da escola e que transmitisse alegria.
Uma coreografia animada, com uma pitada extra de humor. Inspirada em todos os personagens principais,
que marcaram as novelas e que são apresentados na ordem do samba de enredo.
A escolha dos componentes foi também bem trabalhada. Buscamos no mercado bailarinos e atores que
tivessem a característica física próxima ao dos personagens que vamos retratar. Sendo assim, todos eles se
assemelham bastante ao personagem que representará, fazendo nosso conjunto coreográfico mais real.

Sobre o Coreógrafo 
Renato Vieira é coreógrafo, professor, diretor de movimento e diretor artístico da Companhia de Dança que
leva o seu nome. Recebeu inúmeras premiações pelo conjunto da obra e passou uma temporada na  Cité
Internationale des Arts, em Paris. Foi coreógrafo da abertura dos jogos Pan Americanos no Rio de Janeiro em 2007. Formado em Publicidade e Relações Públicas, Renato cursou a Escola de Teatro e frequentou aulas de ballet clássico, moderno e jazz no Brasil, com cursos de especialização no exterior. Além de espetáculos com sua companhia, Renato coreografa outras companhias e também espetáculos de teatro infantil e adulto. Já coreografou minisséries, aberturas de programas e especiais musicais.
No carnaval estreou como coreógrafo de Comissão de Frente pela Grande Rio em 2003, onde permaneceu
por 9 anos. Renato sempre teve como marca registrada, bailarinos musculosos e cheios de vigor. Suas coreografias sempre ousadas esbanjam sensualidade e força física. Após 9 anos na escola de Caxias, Renato fez uma breve passagem na Mocidade de Padre Miguel em 2012 e, em 2013, estreia na São Clemente.

Componentes da Comissão de Frente: Nadia Nardine (Viúva Porcina), Orlando Leal (Senhorzinho Malta), Guilherme Linhares (O Astro), Mabel (Dona Redonda), Gisela Saldanha (Carminha), Juliana Medela (Gabriela), Perpetua (Denize Mendes), Julia (Marina Maia), Juliana Schaich (Tieta), Jose Leandro (Cordel Encantado), Clarisse Paixão (Sucena Cordel Encantado), Ana Clara (Escrava Isaura), Flavia Costa (Odete Roitmam), Cameraman (Felipe Padilha), Diretor (Henrique Dias), Assistentes: Soraya Bastos e Claudio Alex


ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA
Coreógrafo: Marcelo Chocolate, Marcello Moragas, Mauricio Wetzel e Sheila Aquino
Fantasia: Formação do Povo Cuiabano entre Lendas e Assombrações

 Quando da descoberta de Cuiabá na busca por ouro, eram comuns as “Rusgas”, guerras
travadas entre os Índios Bororós e os Bandeirantes vindos de São Paulo. Em outra época, como visão de progresso, a estrada de ferro era ansiosamente esperada, embora nunca tenha chegado.
Nossa comissão, fazendo uma mistura de épocas, conduzida pelo trem tão sonhado, traz a chegada dos Bandeirantes em luta com os índios e também representa a formação histórica, lendas e assombrações do povo cuiabano, além de apresentar o folclore cuiabano através da dança.
Em meio às rusgas e a constante chegada de bandeirantes havia um padre, conhecido como padre Antônio, que sempre intervinha em prol da paz. Do seu ato de paz eternizou-se a famosa lenda: “Quem come cabeça de Pacu, não sai mais de Cuiabá”. A magia da sedução pelo paladar une os povos na dança e, em meio às danças, os mistérios se tornam presentes na imagem de nosso padre, que dá vida às assombrações vivo no imaginário coletivo dos cuiabanos.
A dança regional Siriri se faz presente! A alegria da dança une o povo, que se encanta com samba da verde e rosa, nossos bandeirantes e índios se tornam um só povo, nosso padre se revela e conduz nossa comissão de frente a um desfile magistral!

Integrantes da Comissão de Frente:
 08 Homens:  07 Bandeirantes e 01 Padre - Bilisco, Kadu Vieira, Renato Belo, Rogério Araújo, Diogo Bernardo, Hugo Roberto, Andre Rosa.
07 Mulheres: 07 Índias - Robertinha Stephanie, Mariana Torres, Viviane Soares, Laura de Lamare, Tais Benitte, Marcelle Monteiro e Flávia Teixeira.

Figurino da Comissão de Frente:
Para estruturar a criação dos figurinos para a Comissão de Frente, o diretor de arte Alexandre
Murucci, baseou-se na história, na riqueza natural da região  – os  cerrados de onde se origina a
palavra Cuiabá - que na língua Bororó, significa:  Ikuiapá (Ikuia = flecha arpão e pá = lugar) e na
magnífica cultura dos índios, que cercam Cuiabá até Parque Nacional do Xingú, como
os Yawalapiti, Kuikuro, Kamayurá, Waurá, Aweti, Nafukuwá e Matipu.Abre-Alas

As Índias, em meio aos campos de Capim-Dourado, encontram (lutam e depois encantam) os Bandeirantes,
que desbravam os rincões do Brasil e contribuem para formação da cidade de Cuiabá. Para a composição das Índias, usamos a licença poética de quando as tribos se escondiam dos Bandeirantes nos campos de cerrado, em meio ao capim, ao criar um delicado bordado de palha de Capim-Dourado, joia natural dos campos da região, que envolvem todo o corpo das jovens, com desenhos de pintura corporal e do artesanato indígena.  Assim, uma modelagem com  mão de obra de alta-costura de "guipure" ( método francês de montagem de renda ), foi feita a partir de mais de mil metros de material trançado de Capim-Dourado, encomendado no próprio estado.
Com o uso deste material, também lembramos a corrida do ouro que motivou muitas bandeiras, de uma forma lúdica e eloquente.
Para complementar foi escolhido, um Pariko (cocar) da tribo Kamayurá, onde as índias também usam  adornos de cabeça, pois na maioria das tribos, apenas os homens podem usá-lo, pois são símbolo de poder e hierarquia.  Normalmente nas cores amarelo e negro, foi encomendado aos próprios índios da região a feitura de parikos em verde e rosa, com toda a correção cerimonial necessária.
Assim como os cocares, as peças de adorno, também foram confeccionadas pelas tribos do Mato Grosso.
Os Bandeirantes foram construídos a partir de pesquisa, notadamente em cima de figuras históricas, com
uma composição um pouco mais teatral do que realista, para que as roupas pudessem promover as demandas e surpresas da Comissão.
Complementa o grupo um Padre, com sua típica indumentária oitocentista, que também trará uma surpresa
mostrando lendas e assombrações da região.

Coreógrafos: 
Marcelo Chocolate, desde muito jovem, se destacava nas festas dançando despretensiosamente. Um pouco mais tarde, participou de um concurso de dança de salão com a irmã e ganhou. Daí por diante, começou a fazer aulas de dança. Saiu da Marinha e profissionalizou-se  como dançarino, professor e coreógrafo. Já participou da Companhia de Dança do Carlinhos de Jesus. Diversas vezes saiu na Comissão de Frente da Mangueira; fez vários programas de TV, acompanhou Alcione, Valéria Valença, Gil, Tânia Alves, Kelly Key, Dudu Nobre, Só Pra Contrariar, Elza Soares, entre outros. Atualmente firma parceria com Sheila Aquino, dando aulas em sua própria academia, o Espaço de Dança Sheila Aquino e Marcelo Chocolate, no RJ.

Marcello MoragasDançarino, coreógrafo, diretor e professor de dança de salão, diretor do Studio Marcello Moragas Dança de Salão, fundada em 1990. Integrante da Cia Aérea de Dança de 1989 à 1993, onde se formou profissionalmente e atuou como professor e dançarino, sendo convidado, em 1993, a integrar a Cia. de Dança Carlinhos de Jesus como dançarino e, posteriormente, assumindo o cargo de ensaiador e consecutivamente a função de coreógrafo e diretor artístico, onde atou até março de 2009. Atuou em espetáculos no Brasil e exterior, adquirindo larga experiência com essa Cia e outros grupos. Com grande envolvimento no Carnaval do Rio de Janeiro,  acumulou mais de 10 anos à frente da Comissão de frente da Estação Primeira de Mangueira como assistente de direção do Carlinhos de Jesus. Envolvido no meio da dança com trabalho reconhecido, participa de júri em festivais de dança, bem como aplica provas para o Sindicato dos Profissionais de Dança, além de lecionar em sua academia e congressos nacionais e internacionais. Em 2009, junto a outros profissionais, fundou a Pares Cia de Dança, com o objetivo de estudar e difundir cada vez mais a arte das danças de salão como espetáculo.

Mauricio WetzelDançarino, coreógrafo, diretor e professor de dança de salão, tem em seu currículo larga experiência em sua área, como: Semifinalista na Dança dos Famosos 2012 – Rede Globo Diretor e Coreógrafo da Cia de Dança Sheila Aquino e Marcelo Chocolate Workshops de Dança de Salão na Europa 2010, 2011 – Bruxelas, Paris, Estocolmo. Shows à bordo de Navios de cruzeiros, temporada Européia (Suécia e Finlândia) - 2010, 2011. Participação no show e gravação de DVDs da Cantora  Alcione, inclusive coreografando ( Rio de Janeiro e Maranhão); Integrante e Assistente de direção do grupo efetivo da Cia de Dança Carlinhos de Jesus; Integrante do musical Marília Pêra canta Carmem Miranda, onde além de dançar, cantou com Marília Pêra - Direção Maurício Sherman (Teatro João Caetano - Rio de Janeiro); Participação no show de final de ano da cantora Elba Ramalho (Praia de Copacabana – Rio de Janeiro); Coreógrafo da Comissão de Frente da Escola de Samba Alegria da Zona Sul em 2000; Coreógrafo da Comissão de Frente da Escola de Samba Vila Rica; Participação na abertura da novela “Sabor da Paixão” da Rede Globo de Televisão.

Sheila Aquino, dança desde os 15 anos nos bailes de dança da cidade do Rio de Janeiro. Começou sua carreira profissional aos 19 anos, ministrando aulas de dança de salão nas melhores escolas da cidade. A partir daí vem aprimorando sua técnica e desenvolvendo trabalhos nacionais e internacionais como dançarina, coreógrafa, e professora. Já trabalhou com renomados profissionais da aérea, tais como: Carlinhos de Jesus, João Carlos Ramos da Cia Aérea de Dança; Marcello Moragas, coreógrafo da Cia de Dança Carlinhos de Jesus; Jimmy de Oliveira e Álvaro Reis. Atualmente firma parceria com Marcelo Chocolate, dançando e coreografando para artistas como Alcione, Afro Reggae, Gil e também desenvolvendo um trabalho com o grupo de funcionários do (SISTEMA FIRJAN) dando aulas e coreografando há 3 anos. Desenvolve trabalho semelhante, na academia do FORUM, onde mantém duas turmas formadas por juízes e desembargadores. Seu mais novo trabalho é a participação como artista principal de "Brasil Brasileiro", musical de Cláudio Segóvia, que estreou na França, em dezembro de 2005 e seguiu em turnê internacional em 2006 e 2007.


BEIJA FLOR DE NILÓPOLIS
Responsável pela Comissão de Frente: Augusto Vargas
Coreógrafos: Augusto Vargas, Marllos Fraga & Ruidglan Barros
Confecção de Fantasias: Edmilson Lima
Elementos Cênicos (Cavalo Principal e Dragão Menor): Raimundo Rodrigues
Elementos Cênicos (Caverna, Cavalos Laterais e Dragão Maior): Rossy Amoedo
Efeitos Especiais (Fumaça, Tiros de Bolas Fumaça e Fogo Cenográfico): Fuentes
Nome da comissão: “São Jorge, Cavaleiro Corajoso, Guerreiro da Capadócia... Abre e Ilumina os Nossos Caminhos!”

A relação de amizade e cumplicidade entre o Homem e o cavalo é milenar. Quando pensamos no belo elo entre cavalos e cavaleiros, é inevitável visualizarmos a clássica imagem do guerreiro da Capadócia montado em seu cavalo branco. Imortalizado no conto em que mata o monstruoso dragão e salva a princesa, sob a luz da lua, São Jorge*  – talvez o mais exímio cavaleiro de todos os tempos  – e seus fiéis soldados, saúdam o público e pedem passagem para a Agremiação, deixando ao longo da Passarela do Samba, um rastro de fé, devoção, bênçãos e proteção.
(*) São Jorge, o padroeiro do G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis, também é venerado em diversos cultos das religiões afro-brasileiras, onde é sincretizado com o orixá Ogum.

Integrantes / Suplentes:
Aline Lima, Edson Almeida, Mônica Victorino, Thamyres Oeda, Amanda Miranda, Edson Damazzo, Pablo Ventura, Thatila Paganotti, Augusto Vargas, Emerson Santos, Patrícia Freire, Valéria Brito, Bruna Rosa, Fellipe Limonge, Renato Borge, Victor Arcanjo, Castro Alves, Gianco Kapinnam, Roberta Mesquita, Willian Begliomini, Cauan Vieira, Lipe Sardinha, Siena Rodrigues, Willian Braga, Danielson Maroto.

A Comissão de Frente adota o sistema de ensaiar com integrantes suplentes, que estão condições de
ocupar o lugar de um dos titulares em qualquer eventualidade.


ACADÊMICOS DO GRANDE RIO
Responsável pela Comissão de Frente: Jorge Texeira
Coreógrafos: Jorge Texeira e Saulo Finelon

A Comissão de Frente do G.R.E.S. Acadêmicos do Grande Rio vêm representando os “Mergulhadores do Ouro” que descobrirão a fonte dessa riqueza e a transformarão no combustível que alimentará a alegria de nosso desfile.

OBS.: A Comissão de Frente terá dois momentos distintos. No primeiro,  15 (quinze) mergulhadores (homens) avançam na busca do ouro negro. Serão apoiados por uma alegoria representando um aquário encimado por um submarino. Dos fundos desse aquário sairá um automóvel e uma bomba de gasolina com 14 (quatorze) bailarinos (07 homens e 07 mulheres)que estarão se dirigindo a um baile de gala de Carnaval.


IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE
Coreógrafo: Alex Neoral

A partir de uma visão lúdica, os ancestrais indígenas que ocupavam o território inexplorado que hoje corresponde ao Estado do Pará surgem em meio à natureza para anunciar a passagem da Imperatriz Leopoldinese.  Donos da terra e integrantes fundamentais dá história que contamos, apresentam-se como seres que integram harmoniosamente a estrutura orgânica de um pedaço de floresta cenográfico.

Com um figurino desenvolvido a partir da coloração terrosa associada ao verde, ostentam cocares que traduzem a beleza do desabrochar de flores enquanto a copa de uma árvore presente no elemento alegórico revela a “estrela” que nos guia ao norte. Enquanto dança, apresentam-se como uma tribo indígena “verde” que coreograficamente revela  - ao final da apresentação - o amuleto tido como elemento de sorte no contexto indígena local: o muiraquitã.


UNIDOS DE VILA ISABEL
Coreógrafo: Marcelo Misailidis
Nome do que Representa a Apresentação da Comissão de Frente: 
CAIXOTE: SÍMBOLO QUE TRANSPORTA RIQUEZA DO CAMPO PARA A CIDADE

O Que Representa: A Comissão de Frente da Vila Isabel traz para a abertura de seu desfile um elemento simbólico que traduz a relação de interlocução da vida do homem do campo com aquele que vive nos grandes centros urbanos.
Este elemento ao qual estamos nos referindo é o Caixote. Simples e rústico, ele tem sido ao longo dos séculos a imagem do reservatório que transporta a riqueza produzida no campo para as cidades, através de seus entrepostos, feiras, supermercados e, nas esquinas das ruas, onde a produção de alimentos chega diariamente à casa de todas as famílias.
A proposta da Comissão de Frente é criar uma síntese do próprio enredo em que a imagem inicial do “Caixote”, elemento que carrega em seu interior a vida do homem do campo, que trabalha a terra, produz riqueza e cultura, como nos festejos juninos, e convive com o milagre da vida que nasce da terra.
Composta por homens e mulheres, a Comissão de Frente apresenta assim uma sucessão de quadros que pretende homenagear o Brasil rural, com cenas e imagens pitorescas do nosso interior brasileiro, de modo simples, alegre e sensível, tal qual este personagem que luta bravamente todos os dias e representa milhares de brasileiros e brasileiras que alavancam o sustento e o crescimento de nosso país.

Apresentação do Coreógrafo e Diretor da Comissão de Frente:
Um dos maiores nomes do ballet brasileiro, Marcelo Misailidis formou-se sob a orientação da mestra Eugênia Feodorova e Aldo Lotufo.
Sua carreira profissional teve início na Associação de Ballet do Rio de Janeiro sob a orientação de Dalal Achcar, onde trabalhou com o renomado professor Desmond Doyle, do Royal Ballet de Londres. Foi convidado, no ano de 1991, a integrar o corpo de baile do BALLET DO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO como Bailarino Principal, participando de todas as temporadas desde então.
Como Guest Artist, apresentou-se em companhias no exterior, e nas mais importantes companhias brasileiras, protagonizando os grandes ballets de repertório tais como Dom Quixote, O Lago dos Cisnes, Giselle, Coppélia, entre outros. Realizou ainda especiais para a televisão, e como ator estrelou no cinema um Curta Metragem do diretor Alberto Salvá. Ocupou o cargo de Regente do Ballet do Teatro Municipal do Rio de Janeiro no período de 2006 a 2008.
No Carnaval, Misailidis iniciou a sua trajetória como coreógrafo de Comissão de Frente na Unidos da Tijuca. Na Agremiação do Borel, ele atuou por cinco anos (1998-2002). No Carnaval de 2003, foi contratado pelo G.R.E.S. Acadêmicos do Salgueiro, onde também atuou por um período de cinco anos (2003-2007), realizou excelentes trabalhos e alcançou a nota máxima por vários desfiles seguidos.
Para o Carnaval de 2008, Misailidis foi contratado pelo G.R.E.S. Unidos de Vila Isabel, onde se mantém como coreógrafo.
O Carnaval de 2013 será o décimo  sexto  atuando na Marquês de Sapucaí como coreógrafo de comissão de frente. Durante a década conquistou o público e a crítica de Carnaval, e arrebatou várias premiações como o prêmio de Melhor Comissão de Frente dado pelo júri do Estandarte de Ouro nos anos de 2002, 2003, 2005 e 2009.
   
Assistente Técnico do Coreógrafo e Diretor da Comissão de Frente: Danielle Uhebe, Zeca Taveira e Antonio Bento
Figurinista: Luiz de Freitas
Aderecista: Ricardo Denis
Cenotécnico: Fernando Soares


FONTE: Abre Alas / LIESA



3 comentários:

  1. QUE TRABALHO FANTÁSTICO VOCÊ REALIZA AQUI, PARABENS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uruguaiana RS Hoje considerado o terceiro maior carnaval do pais parabeniza e convidamos a todos os cariocas para conhecer um pouco do nosso Carnaval Fora de Época e é claro dar a sua opinião.
      https://www.facebook.com/photo.php?fbid=611261122221556&set=a.493152830699053.128671.493078144039855&type=1&theater

      www.abracesuacidade.com.br

      Excluir
  2. faltou na tabela a União da Ilha!!!

    ResponderExcluir