Aqui elas dão show!

Loading...

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O GLOBO - Comissão de frente da Beija-Flor quer crescer com nanotecnologia


Escola usará ‘arma microscópica’ para criar efeitos na Avenida



Integrantes da comissão de frente da Beija-Flor durante um ensaio na quadra, em Nilópolis
Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

Integrantes da comissão de frente da Beija-Flor durante um ensaio na quadra, em Nilópolis Márcio Alves / Agência O Globo
RIO — A grande sacada da comissão de frente da Beija-Flor é o uso da nanotecnologia — a manipulação de materiais em escala atômica e molecular. São detalhes tão pequenos, mas que o diretor da comissão, o ator Augusto Vargas, acredita que ajudará os 15 componentes a crescer e aparecer no Sambódromo. Como vai ser a novidade? Isto, segundo ele, é um segredo titânico.
— A nanotecnologia não vai ter um grande efeito, mas vai chamar a atenção. Acho que vai surpreender. Vai ser um diferencial que, com certeza, muitas escolas vão estar seguindo o rastro da Beija-Flor — prevê o ator, sem dar dicas sobre a arma secreta.


— Este vai ser um dos nossos trunfos. A comissão de frente vem com muita magia. A gente vai estar com muitas cartas na manga. Se eu falar da fantasia, entrego também o tema — avisa o ator, enigmático, que também fará encenações no desfile.Augusto quer deixar a surpresa apenas para a Avenida. Nem mesmo se atreve a falar da fantasia que a comissão usará.

Os ensaios da comissão acontecem desde agosto. Em setembro, a escola abriu inscrições para contratar talentos que pudessem se adequar à coreografia e aos planos da comissão para o enredo “Amigo fiel”, homenagem ao cavalo mangalarga marchador. No texto do anúncio, algumas dicas: “Para concorrer as vagas disponíveis, basta ter experiência em arte cênica, balé contemporâneo e sapateado, pele parda acastanhada; (ser) alto, forte, magro, (ter) idade entre 20 e 30 anos, e aparência rústica, com e sem barba”.
— Buscamos descobrir mais talentos da Baixada. Convidei também um grupo de artistas para fazer parte de linguagens específicas. Chamei um artista plástico que tenho profunda admiração: Raimundo Rodrigues, que é de Nova Iguaçu. Ele fará alguns elementos cênicos para mim. A gente está trazendo atores e bailarinos da Baixada. Teremos um tempero especial. Viremos com mais garra — promete ele, nascido em Nilópolis.
O ator se surpreende de ter assumido a comissão e ter a liberdade para tentar algo novo no Sambódromo. Normalmente, as comissões são comandadas por coreógrafos.
— Uma coisa muito interessante é terem me chamado para dirigir uma comissão de frente que já tem supercoreógrafos. Mas a Beija-Flor vai ter uma questão muito cênica para levar para a Avenida. Vai ser um grande teatro musical. Vamos emocionar muito as pessoas com o cavalo e a energia que envolve o animal — afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário