Aqui elas dão show!

Loading...

domingo, 27 de novembro de 2011

Comissões de frente 1999

Neste ano, a campeã foi Imperatriz Leopoldinense, com o enredo  Brasil, Mostra sua
Cara em... “Theatrum Rerum Naturalium Brasilae”.

SÃO CLEMENTE
ENREDO: “A São Clemente comemora e traz Rui Barbosa para os braços do povo”.
CARNAVALESCO(S): Jaime Cezário.
Componentes: 13 masculinos.
Nome da fantasia: “Os diplomatas da folia”.
O que representou:  “...vem representando ‘os diplomatas da folia’ que  saúdam o nosso
homenageado Rui Barbosa, que vem personificado pelo coreógrafo Gabriel cortez. Esta
homenagem não poderia deixar de começar exaltando este lado tão marcante do nosso
aniversariante”. “A comissão de frente trouxe os diplomatas, cujo chapéu tinha uma águia”.
Coreógrafo(s): Gabriel Cortes.
Pontuação: 10,0 – 9,5 – 9,0


 UNIÃO DA ILHA DO GOVERNADOR
ENREDO: “Barbosa Lima, 102 anos do Sobrinho do Brasil”.
CARNAVALESCO(S): Milton Cunha.
Componentes:15 masculinos.
Nome da fantasia: “O Brasil moderno grávido de justiça”.
O que representou:  “Representa a Modernidade do Brasil, como produto do trabalho
jornalístico de Barbosa Lima Sobrinho, que já dura 1 século. Com ele, ao longo destes anos,
em seus textos, aprendemos que a cidadania deve ser exercitada em sua plenitude,
independente de sexo, idade, cor, religião e etc. Este Brasil moderno está grávido de justiça, e a 77
imprensa engajada, como a de Barbosa, é importantíssimo instrumento de luta pela liberdade
de expressão. Viva a Modernidade do Carnaval e do Brasil!”
Coreógrafo(s): Nino Giovanetti.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,0

PORTELA 
ENREDO: “De volta aos caminhos de Minas Gerais”.
CARNAVALESCO(S): Ilvamar Magalhães.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Explosão barroca”.
O que representou: “O Barroco caracterizado pela exuberância das formas e pompa litúrgicoornamental. Estilo extravagante de arte e vida, um Barroco nativista, bem brasileiro, nascido
praticamente aqui e, aqui desenvolvido, sobretudo em Minas Gerais e na Bahia. A Comissão de
Frente se apresenta com traje Barroco, lembrando os dias dos santos nos Templos que eram
comemorados com cerimônias religiosas e festas populares. Nos Templos eram executadas
obras de compositores locais, peças de grande beleza da música sacra brasileira. Os
componentes fazem da coreografia vários movimentos com os pergaminhos, que trazem num
dos lados a inscrição tomada ao poeta latino Virgílio: ‘Libertas quae será tamen’ – Liberdade
ainda que tardia. No outro lado o nome de mineiros ilustres que continuam se destacando como
Presidentes, poetas, médicos, escritores geniais, políticos, artistas, esportistas e nas artes
plásticas”.
Coreógrafo(s): Luiz Monteiro.
Pontuação: 10, 0 – 10,0 – 9,5


ACADÊMICOS DO SALGUEIRO
ENREDO: “Salgueiro é sol e sal nos 400 anos de Natal”.
CARNAVALESCO(S): Mauro Quintaes.
Componentes: 15 masculinos (Renato Santiago, Ricardo Nascimento, Mauro Angelin, Felipe
Winston, Cláudio Silva, Jorge Pitanga, Gustavo Mathias, Paulo Sérgio Gama, Sérgio Ferreira,
Vanderlei Souza, Marcelo Bunte, Alexandre Paulo, Renato Gomes, Avelini José e Nelson
Cristóvão).
Nome da fantasia: “Holandeses”.
O que representou:  a História registra que Natal foi invadida e ocupada por holandeses de
1633 a 1654.
Coreógrafo(s): Beth Oliose e Regina Sauer.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,5

 UNIDOS DE VILA ISABEL
ENREDO: “João Pessoa – onde o sol brilha mais cedo”.
CARNAVALESCO(S): Jorge Freitas.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Filhos do sol”.
O que representou:  “Representa a população dos trópicos, que vive em terras de muita
luminosidade e de natureza exuberante”.
Coreógrafo(s): Oyama Queiroz de Carvalho.
Pontuação: 10,0 – 9,5 – 9,5

IMPÉRIO SERRANO
ENREDO: “Uma rua chamada Brasil”.
CARNAVALESCO(S): Mario Borriello.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Índios Algonquianos”.
O que representou: “Representam os primeiros habitantes da Ilha de Manhattan, que foram os
índios Algonquianos”.
Coreógrafo(s): Suzana Braga.
Pontuação: 10,0 – 9,5 – 9,5


UNIDOS DO VIRADOURO 
ENREDO: “Anita Garibaldi – heroína das 7 magias”.
CARNAVALESCO(S): Joãozinho Trinta.
Componentes:  14 masculinos (Serjão, Silvinir, Araújo, Carlos Pequeno, Maurício Silva,
André PQD, Léo, Juarez Cláudio, Nando, Marinho, André, Dácio, Rogério e Zarur).
Nome da fantasia: “Feitiçaria da Ilha da Magia”.
O que representou:  “...vem representando esse clima mágico que a Escola apresentará na
Avenida. Personificando grandes bruxos e suas magias. (...) Para reforçar esta apresentação, a
nossa comissão já virá integrada no espírito do enredo Anita Garibaldi – a heroína da magias.
O tema se desenvolve a partir de uma lenda açoriana bastante conhecida em Santa Catarina,
região onde nasceu Anita Garibaldi. A lenda conta que em noite de lua cheia as mulheres
catarinenses transformaram-se em bruxas e feiticeiras e realizavam grandes rituais. O nome da
Ilha da Magia surgiu por conta desta lenda. A Comissão de Frente vem representando esse
clima mágico que a Escola apresentará na Avenida.,  personificando grandes bruxos e suas
magias”.
Coreógrafo(s): Jussara Pádua.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,5

 TRADIÇÃO 
ENREDO: “Nos braços da história, Jacarepaguá, quatro séculos de glórias”.
CARNAVALESCO(S): Orlando Júnior.
Componentes: 14 masculinos.
Nome da fantasia: “Artur Bispo do Rosário”.
O que representou: “...vai representar o Bispo do Rosário”.
Coreógrafo(s): Roberto Lima.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0

ACADÊMICOS DO GRANDE RIO 
ENREDO: “Ei, ei, ei, Chatô é nosso rei”.
CARNAVALESCO(S): Max Lopes.
Componentes: 03 femininos e 12 masculinos.
Nome da fantasia: (?)
O que representou: (?)
Coreógrafo(s): Caio Nunes.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,0


CAPRICHOSOS DE PILARES 
ENREDO: “No universo da beleza, mestre Pitanguy”.
CARNAVALESCO(S): Etevaldo Brandão.
Componentes: 13 masculinos.
Nome da fantasia: “Atletas”.
O que representou:  “Obviamente, para representar os primeiros exemplares da espécie,
teríamos que selecionar e convidar pessoas com físicos perfeitos, caracterizando Apolo, o Deus
da beleza física. Escolhemos verdadeiros atletas, com volume muscular em linhas
harmoniosas. Afinal, os representantes dos mais belos exemplares da obra do Criador, têm que
justificar a escolha”.
Coreógrafo(s): Jerônimo.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,5

ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA
ENREDO: “O século do samba”.
CARNAVALESCO(S): Alexandre Louzada.
Componentes: 04 femininas e 11 masculinos.
Nome da fantasia: “Imortais do samba”.
O que representou:  “...representava os grandes compositores Pixinguinha, Ismael Silva,
Cartola. Candeia, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, Paulo da Portela, Beto Sem Braço e Mestre
Fuleiro, além de Carmen Miranda, Clara Nunes e Clementina de Jesus”.
Coreógrafo(s): Carlinhos de Jesus.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0


MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL
ENREDO: “Villa-Lobos e a apoteose brasileira”.
CARNAVALESCO(S): Renato Lage.
Componentes: 05 femininos e 10 masculinos.
Nome da fantasia: “Sapos-Cururus da beira do rio...”
O que representou:  “Inspirado no bloco  Sodade do Cordão, onde havia um séqüito de
quatorze ‘Sapos-Homens’; esta é uma reedição onde se faz representar os seres da floresta, sua
magia e seus mitos. Mesclados com o homem, eles driblam o ‘Monstro do Rio Amazonas’ e as
diversas dificuldades da vida”.
Coreógrafo(s): Cláudio Baltar (Intrépida Trupe).
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0

BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS
ENREDO: “Araxá – lugar alto onde primeiro se avista o sol”.
CARNAVALESCO(S): Comissão de Carnaval (Fran-Sérgio, Ubiratan Silva, Cid Carvalho,
Nelson Ricardo, Shangai).
Componentes: 08 femininos e 07 masculinos.
Nome da fantasia: “Passeio da Corte Real Portuguesa pela História de Araxá”.
O que representou: “Nossa Comissão de Frente transfigura-se na luxuosa corte real do século
XIX, responsável pelo início de todo o processo de pesquisa das águas minerais do Barreiro.
Encarregados de apresentarem nossa agremiação com a pompa dedicada a este grandioso
espetáculo ao qual a Beija-Flor de Nilópolis propõe-se a apresentar, são responsáveis pela
abertura do nosso desfile, transformando a Marquês  de Sapucaí em um imenso corredor
histórico, onde conduzem o grande público a viajar  pela fascinante e envolvente história da
cidade de Araxá. Com a vinda da Família Real Portuguesa, em 1808, para viver no Brasil, foi
permitida a participação de estrangeiros na exploração mineral. Data de 1816 o primeiro estudo
oficial do valor terapêutico das águas minerais do  Barreiro. A seguir, estes estudos foram
levados ao conhecimento do Governo Imperial, fazendo um comunicado oficial à Coroa
Portuguesa. Estes estudos foram os primeiros de uma série, que posteriormente permitiram a
exploração do potencial da Bacia do Barreiro, dando início a vários acontecimentos históricos
que fizeram de Araxá a história da própria história, a glória da própria glória, a terra da água
encantada, da primeira alvorada, da festa esperada, do generoso solo mineiro onde o sol nasce
primeiro com o mais intenso fulgor”.
Coreógrafo(s): Ghislaine Cavalcanti.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0


IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE
ENREDO: “Brasil mostra sua cara em... Theatrum Rerum Naturalium Brasilae”.
CARNAVALESCO(S): Rosa Magalhães.
Componentes:  15 masculinos com altura mínima de 1,80m (Cosme, Lamir, Luiz, Eduardo,
Ricardo, Valério, Falcão, Edivaldo, Vinícios, Enéas, Élio, Alexandre, Jamerson, Fausto,
Monsueto e os reservas: Marcos, Renato, Luiz e Denílson).
Nome da fantasia: “Nobreza holandesa”.
O que representou: os nobres holandeses na época do Brasil colonial.
Coreógrafo(s): Fabio de Mello.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0

FONTE: Livro "Abre Alas" - Liesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário