Aqui elas dão show!

Loading...

domingo, 27 de novembro de 2011

Comissões de frente 2005

Neste ano, a campeã foi a Beija-Flor, com o enredo O Vento que corta as terras dos
Pampas. Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Guarani. Sete Povos na Fé e na dor... Sete
Missões de Amor.

MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL 
ENREDO: “Buon Mangiare, Mocidade! A arte está na mesa”.
CARNAVALESCO(S): Paulo Menezes.
Componentes: 03 femininos e 12 masculinos.
Nome da fantasia: “Trupe independente de Padre Miguel”.
O que representou:  “...abre o espetáculo como uma grande caravana mambembe de
commedia dell’arte, convidando todo o público a assistir um grande espetáculo de arte. Os
maiores personagens da Commédia Italiana estarão presentes nesta trupe. Estarão conosco
Brighella, Arlecchina, Colombina, Pulcinella, Capitan Fracasse, Pierrot, II Dottore, Scapino,
Pantalone, Enamorado, Scaramuccia e o famoso Arlecchino. A estes personagens estarão
aliados a graça e a alegria de apresentar a Mocidade Independete de Padre Miguel”.
Coreógrafo(s): Luciana Yegros.
Pontuação: 9,9 – 9,7 – 9,6 – 9,5

IMPÉRIO SERRANO
ENREDO: “Um grito que ecoa no ar (Homem/Natureza – o perfeito equilíbrio)”.
CARNAVALESCO(S): Ilvamar Magalhães.
Componentes: 01 feminino e 14 masculino.
Nome da fantasia: “Bem e Mal (o duelo)”.
O que representou: “o grande duelo entre o Bem e o Mal”.
Coreógrafo(s): Jussara Pádua.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,5 – 9,4

 ACADÊMICOS DO SALGUEIRO
ENREDO: “Do fogo que ilumina a vida, Salgueiro é chama que não se apaga”.
CARNAVALESCO(S): Renato Lage e Márcia Lávia.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: "O fogo que ilumina a vida"
O que representou:  “O Salgueiro abre o seu desfile com a apresentação  da lenda da
disseminação do fogo entre os homens, segundo a Mitologia Grega. Dos céus, Prometeu traz a
chama sagrada que iria mudar história do mundo. Com o domínio do fogo, o homem assegurou
sua superioridade sobre todos os outros animais, disputando com vigor seu espaço na natureza.
Na dança da evolução, o elemento torna-se elo fundamental para o desenvolvimento humano,
libertando-o das correntes que o aprisionam à escuridão da noite, aos rigores do tempo e ao
ambiente hostil e desconhecido em que habita. Acesa a chama do conhecimento, o homem
primitivo conquista vitórias e se destaca dos outros animais. As correntes de Prometeu
transformam-se em elos da trama que se desenha nos  primeiros tempos, quando o fascínio
deste elemento incandescente encantava e assombrava os hominídeos, seres movidos pelo
instinto de sobrevivência; transfiguram-se em elemento de ligação que une os homens
primitivos a si mesmos e ao poder Divino. Representam a luta pela conquista do fogo na
grande trama da evolução. Na ânsia pelo domínio do elemento e, através dele, do homem pelo
próprio homem, nasce o amor ao Carnaval, esta grande caldeira de sonhos e sentidos que se faz
combustível da eterna chama da vida. Do legado de Prometeu à humanidade, surge o calor
intenso que faz arder a alma pelo amor a uma bandeira de cores quentes como o fogo, servindo
de veículo  para celebrar o acender da vida que (re)nasce e pulsa em cada coração e no sangue
vermelho que ferve nas veias de todo folião. A fagulha incandescente do amor ao samba, que
se espalha feito brasa, calor que arrepia, que nos torna mais vivos na intensa combustão do
Carnaval. É o brilho que ilumina a vida. E a chama que não se apaga”.
Coreógrafo(s): Marcelo Misailidis.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 9,9

ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA 
ENREDO: “Mangueira energiza a Avenida. O Carnaval é pura energia e a energia é o nosso
desafio”.
CARNAVALESCO(S): Max Lopes.
Componentes: 03 femininos e 12 masculinos.
Nome da fantasia: “Mangueira, energia e vida”.
O que representou: (?)
Coreógrafo(s): Carlinhos de Jesus.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,8 – 9,4

UNIDOS DA TIJUCA
ENREDO: “Entrou por um lado, saiu pelo outro... Quem quiser que invente outro” .
CARNAVALESCO(S): Paulo Barros.
Componentes: 01 feminino e 14 masculinos.
Nome da fantasia: “O imaginário de Dom Quixote”.
O que representou: “A Comissão de Frente é palco para que entre em cena D. Quixote de
La Mancha. O fidalgo, personagem emblemático criado por Miguel de Cervantes, simboliza
a capacidade de conquistar sonhos vencendo a realidade de um mundo em desencanto. Esse
aventureiro da ilusão, sua amada Dulcinéia del Toboso e o amigo Sancho Pança representam
a tensão entre viver uma realidade triste e medíocre ou se deixar envolver pela fantasia,
realizando grandes feitos, conquistando novas terras, vencendo ou perdendo memoráveis
batalhas. Dulcinéia aparece aqui representada como Aldonça de Lourenço, amada  e senhora
dos pensamentos do cavaleiro errante e um vizinho amigo, eleito por D. Quixote, o seu leal
escudeiro. Ambos tentam demover D. Quixote da idéia de atravessar sua lança nos moinhos
de vento que o mesmo reconhece como desaforados gigantes em seu imaginário. Mas não
obtêm êxito, pois que dos moinhos entram e saem os  personagens/habitantes de lugares
imaginários apresentados durante o desfile da Escola. D. Quixote continua seu caminho, que,
para além das cenas descritas em Cervantes, percorre diversos outros lugares vivendo
emocionantes aventuras. A Comissão de Frente apresenta seis torres que se movem
percorrendo a Passarela do Samba. Elas representam moinhos de vento estilizados e suas pás
remetem à imagem da cauda do Pavão, símbolo da Unidos da Tijuca. A cena se desenvolve
sugerindo o diálogo entre os três personagens. Quando as torres param, de dentro das
mesmas saem habitantes de alguns dos lugares imaginários a serem apresentados pela Escola:
o Visconde de Sabugosa, o Rei Arthur, o Fantasma de Canterville, o Diabo, o Conde Drácula
e o Macaco serão alguns dos personagens que vão revelar seus lugares e suas histórias ao
longo do desfile”.
Coreógrafo(s): Nino Giovanetti.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 9,9

TRADIÇÃO 
ENREDO: “De sol a sol, de sol à soja... – Um negócio da China!”
CARNAVALESCO(S): Mario Borriello.
Componentes: 06 femininos e 06 masculinos (Bailarinos do Teatro Municipal).
Nome da fantasia: “Viagem no Yangt-Su, de uma dinastia milenar, à nossa pátria mãe gentil!”
O que representou:  “Nessa viagem pelo Rio Yangt-Su, a Comissão de Frente saúda todo
público e percorre o caminho rumo à grande Festa oferecida pelo Imperador em comemoração
ao grão sagrado. Da dinastia milenar chinesa à nossa Pátria Mãe Gentil, fundem-se valores
sociais, tradições e culturas dessas duas nações, do fruto da Terra e que com toda vocação
agrícola, transformaram o sucesso da colheita em fonte de vida e riqueza. Criando assim um
elo entre Brasil e China, que hoje a Tradição exalta na Sapucaí”.
Coreógrafo(s): Sergio Lobato.
Pontuação: 10,0 – 9,9 – 9,9 – 9,8

UNIDOS DE VILA ISABEL
ENREDO: “Singrando em mares bravios... Construindo o futuro”.
CARNAVALESCO(S): Joãosinho Trinta.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Olokum e sua Corte”
O que representou: “Olokum abre os caminhos para a escola contar a história das navegações.
A coreografia remete às profundezas do mar a corte do Sr. dos Mares. A proposta da Comissão
de Frente tanto em fantasia como em termos de coreografia é mostrar a pompa, poder e força
deste Deus. O coreógrafo Jaime Arôxa apresenta com vigor e garra buscando transmitir o mais
perto da realidade. Todo o quadro (figuras e adereços) baseado na linha africana, as formas de
Benin. A performance será distribuída em 2 personagens: 1º - Olokum (Deus dos Mares,
segundo lenda africana) 2º - 14 guardiões da Corte do Deus. A performance da Comissão de
Frente será desenvolvida com um elemento alegórico sobre rodas representando o Templo de
Olokum”.
Coreógrafo(s): Jaime Arôxa.
Pontuação: 9,9 – 9,9 – 9,8 – 9,8

UNIDOS DO PORTO DA PEDRA 
ENREDO: “Carnaval – Festa Profana” (Reedição).
CARNAVALESCO(S): Alexandre Louzada.
Componentes: 11 femininos e 04 masculinos.
Nome da fantasia: “A Corte do Rei da folia”.
O que representou: “Todo Rei tem seu castelo. O nosso Rei Momo, o dono da folia, também
tem o seu. A pequena alegoria que acompanha a comissão de frente representa a soberania
Real. No alto do castelo, como em toda a corte medieval, tremula uma bandeira emblemática.
Essa flâmula é uma pequena e singela homenagem ao G.R.E.S. União da Ilha, madrinha do
G.R.E.S. Unidos do Porto da Pedra, que realizou com brilhantismo, no ano de 1989, a primeira
edição do enredo Carnaval – Festa Profana. Do grande portal deste castelo, o Rei e seus súditos
partem para mostrar o seu carnaval, s Festa Profana, que agora se realiza novamente pela Porto
da Pedra, na Marquês de Sapucaí. A figura do Rei Momo em seu traje tradicional comanda o
seu séqüito formado por 14 bailarinos vestindo uma  fantasia de Pierrot, que no decorrer do
desfile se utilizam de suas golas como elemento cênico, para criar desenhos coreográficos, bem
como uma transformação em Colombina, que ao mesmo tempo, ao empenharem as bandeiras
que ladeiam o pequeno castelo, dançam como porta-bandeiras, fazendo uma homenagem às 14
agremiações do Grupo Especial”.
Coreógrafo(s): Renata Monier.
Pontuação: 9,9 – 9,9 – 9,8 – 9,7

CAPRICHOSOS DE PILARES
ENREDO: “Carnaval, doce ilusão – A gente se encontra aqui, no meio da multidão! 20 anos de
Liga”.
CARNAVALESCO(S): Chico Spinosa.
Componentes: 01 feminino e 14 masculinos.
Nome da fantasia: “Quero ser a pioneira a erguer minha bandeira e plantar minha raiz”.
O que representou: “O maior conceito do carnaval da Caprichosos de Pilares em 2005 vem
vinculado à performance criada pela comissão de frente. Quatorze Escolas de Samba se
encontram no palco de todas as ilusões para celebrarem o sucesso de uma entidade que
completa 20 anos proporcionando crescimento e profissionalização ao carnaval carioca.
Representadas por 14 porta-bandeiras, as Agremiações bailam na Avenida conduzidas por um
único mestre-sala. É a Liesa com toda a sua classe fazendo deslizar na passarela um espetáculo
cada vez mais organizado. Através de um toque de irreverência encontraremos nesse cortejo
uma verdadeira troca de papéis”. 108
Coreógrafo(s): Beth Oliosi.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,8 – 9,7

UNIDOS DO VIRADOURO 
ENREDO: “A Viradouro é só sorriso”.
CARNAVALESCO(S): Mauro Quintaes.
Componentes: 04 femininos e 11 masculinos (Luciana Zola Bahia,  Nana Alves, Daniele
Araújo Rodrigues, Gerli da Silva, Alexandre Henrique Léo Marques, Diego Vieira Borba
Oliveira, Paulo Vinicius, Airton Tenório, Thiago Sancho ribeiro, Fernando César Magalhães,
Rodrigo César Verneque, Eduardo de Oliveira Freitas, Jéferson Antonio, Mauricio A. de
Castro e Anton Coucheiro Failde).
Nome da fantasia: “Criadores do sorriso”.
O que representou: “Esta Comissão de Frente tem como conceito a idéia de que todo palhaço
é um pouco embaixador do sorriso e da melancolia humana. Desenvolvida através de uma
intensa pesquisa, desde ‘O Circo no Brasil’, de Antônio Torres, passando por ‘Clown’ de
Fellini, até Carlos Manga e seu ‘Assim era Atlântida’ - entre outros – esta Comissão mostra o
maior dos criadores de sorrisos e gargalhadas em suas duas grandes divisões:  . Os de rosto
branco, mais conhecidos como ‘Biancos’. Eles têm sua origem nos saltimbancos e na Comédia
Dell’Arte Italiana.  . Os ‘Toni’, assim chamados aqueles palhaços de voz  estridente, roupas
extravagantes, sempre tentando aplicar uma pegadinha nos mais ingênuos. Carequinha do Rio
e Piolin de São Paulo são dois bons exemplos.
A Comissão está dividida em três partes: 1) Chaplin: uma enorme bota, réplica da usada pelo
‘Vagabundo’, leva a trupe pelas estradas, procurando as risadas de quem que e quem precisa
rir. 2) Anunciação: onde Clowns, biancos e tonis anunciam a chegada do sorriso, chamando a
atenção de público com cornetas e pratos. 3) A Comissão apresenta sua trupe composta por
quinze Tonis representando a graça farsista, o elemento espontâneo, o próprio sorriso. Aqui as
brincadeiras correm soltas, a anarquia se estabelece, a vaidade e o ego são elevados à altura de
voltagens perigosas.
Observações: Embora as denominações aqui sejam comuns entre os circenses, o público
brasileiro não conhece a diferença entre um e outro tipo de palhaço. Até porque, nos circos
modernos, a figura de Clown bianco está em extinção e restam poucos espalhados no mundo.
Sendo assim, para o grande público, um Clown é apenas um palhaço igual a todos os outros.
Este trabalho resgata um pouco desta figura perdida no tempo e na nossa memória, mas que
será certamente fácil de reconhecer”.
Coreógrafo(s): Débora Colker e Ulysses Cruz.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0

PORTELA 
ENREDO: “Nós podemos: oito idéias para mudar o mundo”.
CARNAVALESCO(S): Comissão de Carnaval (Amarildo de Mello e Nelson Ricardo).
Componentes: 08 femininos e 07 masculinos (Grupo de dança contemporânea, formado por
jovens adolescentes oriundos da Escola de Dança Alice Arja).
Nome da fantasia: “Escatologia do mundo”.
O que representou:  “Em pesquisa feita baseada a partir da obra do pintor Bosh e
acontecimentos da contemporaneidade, apresentaremos uma abstração composta pelas diversas
formas da bizarra degradação e destruição da humanidade, seu habitat, seu ethos de
convivência e autodestruição. O Mundo está doente”.
Coreógrafo(s): Alice Arja.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,7 – 9,6

IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE
ENREDO: “Uma delirante confusão fabulística”.
CARNAVALESCO(S): Rosa Magalhães.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Cisnes”.
O que representou: “...representa a alma do artista Andersen. Pobre, feio e pouco instruído,
depois de muito trabalho e estudo, se transforma num grande escritor, conhecido
mundialmente. Referências de outros cisnes famosos: ‘O Lago dos Cisnes’ em alguns
momentos da coreografia”.
Coreógrafo(s): Fabio de Mello e Vitor Vidal.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0

ACADÊMICOS DO GRANDE RIO
ENREDO: “Alimentar o corpo e a alma faz bem”.
CARNAVALESCO(S): Roberto Szaniecki.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Folhas mágicas de Gaia”.
O que representou: “...vem trajando uma fantasia que representa Folhas Mágicas sopradas por
Gaia, que soltas ao vento espalharão o verde por todo o universo; a semente do ‘verde’ é
representada pela alegoria que complementa a Comissão de Frente”.
Coreógrafo(s): Renato Vieira.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0


BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS
ENREDO: “O vento corta as terras dos pampas – Em nome do Pai, do Filho e do Espírito
Guarani – Sete povos na fé e na dor, sete missões de amor”.
CARNAVALESCO(S): Comissão de Carnaval (Laíla, Cid Carvalho, Shangai, Fran-Sérgio e
Ubiratan Silva).
Componentes: 08 femininos e 07 masculinos (Alessandra de Oliveira, Giselle Souza, Júlia
Nogueira, Kelly Xavier Machado, Mônica Victorino, Simone Azevedo, Valéria Portela, Vivian
Borges, Alex Santana, Antônio Henriques, Augusto Vargas, Eliano Lettieri, Luciano Farizel,
Marllos Fraga, Thiago Corrêa).
Nome da fantasia: “Poder e sedução – a vinda de um novo rei”.
O que representou: “Duas grandes armas... Duas formas de conquista... A inveja e a ganância
de um rei confronta duas grandes armas humanas. De  um lado a imponência e força de um
exército avassalador – Os Centuriões – O poder; de outro o encantamento e beleza da lascívia
feminina – As Messalinas – A Sedução. O duelo entre essas duas poderosas forças decidirá o
destino da humanidade”.
Coreógrafo(s): Ghislaine Cavalcanti.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0

FONTE: Livro "Comissão de Frente: Alegria e Beleza pedem passagem" de Júlio César Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário