Aqui elas dão show!

Loading...

domingo, 27 de novembro de 2011

Comissões de frente 1994

Neste ano, a campeã foi a Imperatriz Leopoldinense, com o enredo Catarina de Médicis
na Corte dos Tupinambôs e Tabajères. O fato mais marcante no que se refere à comissão de
frente foi a introdução, pela Mocidade Independente de Padre Miguel, com Renato Lage, de
tripé para compor o cenário e a performance dos componentes.

UNIDOS DA PONTE
ENREDO: “Marrom da cor do samba”.
CARNAVALESCO(S): Washington Luiz José da Costa.
Componentes: 11 masculinos.
Nome da fantasia: “Caboclo de Pena/Boi”.
O que representou: “Representa o bailado do Bumbá.” e “...traz o misto do Caboclo de Pena
com o Boi. Sua coreografia, através do ritmo do samba, procura lembrar os passos da dança
mais popular do Maranhão. No seu traje, elementos marcantes como: o veludo, os bordados, as
penas multicores e a renda de buriti”.
Coreógrafo(s): Charles Nelson.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,0

 IMPÉRIO SERRANO 
ENREDO: “Uma festa brasileira”.
CARNAVALESCO(S): Cid Camilo e Sancler Boiron.
Componentes: 13 masculinos.
Nome da fantasia: “Henrique II”.
O que representou: “A comissão representa o rei Henrique II”.
Coreógrafo(s): Dr. Carlos Alberto.
Pontuação: 9,5 – 9,0 – 8,5


UNIDOS DA TIJUCA
ENREDO: “SorRio... é Verão”.
CARNAVALESCO(S): Sylvio Cunha.
Componentes: 13 masculinos.
Nome da fantasia: “Verão carioca”.
O que representou: “A Comissão de Frente é um convite ao verão carioca, desta forma, os
turistas. Esquecemos sua roupa do dia-a-dia para substituí-la por apetrechos tão característicos
ao verão carioca, tais como toalhas de praia estampadas com araras, papagaios, etc, tão comuns
na orla marítima. Os corações que trazem no esplendor simbolizam a paixão pela cidade”.
Coreógrafo(s): Carlinhos de Jesus.
Pontuação: 9,5 – 9,0 – 9,0

 UNIDOS DO VIRADOURO 
ENREDO: “Tereza de Benguela – uma Rainha Negra no Pantanal”.
CARNAVALESCO(S): Joãosinho Trinta.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Tuiuiú”.
O que representou:  “15 homens negros representando a cultura africana  no Pantanal cujo
símbolo é o pássaro tuiuiú”.
Coreógrafo(s): Jorge Paes Leme.
Pontuação: 9,5 – 9,5 – 9,5

ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA
ENREDO: “Atrás da verde-e-rosa só não vai quem já morreu”.
CARNAVALESCO(S): Ilvamar Magalhães.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Sob a força de Oxalá”.
O que representou: (?)
Coreógrafo(s): Moacir de Abreu Castelo Branco (Melão).
Pontuação: 9,5 – 9,5 – 9,0

 UNIDOS DE VILA ISABEL
ENREDO: “– Muito prazer! Isabel de Bragança e Drumond Rosa da Silva mas pode me
chamar de Vila”.
CARNAVALESCO(S): Oswaldo Jardim.
Componentes: 07 femininos e 07 masculinos.
Nome da fantasia: “Bela época”.
O que representou: “Formado por sete casais de bailarinos caracterizados nos anos trinta, que
realizam uma coreografia bem alegre e movimentada deixando o traço do glamour que permeia
a história do bairro de Vila Isabel”.
Coreógrafo(s): Ciro Barcelos.
Pontuação: 9,5 – 9,0 – 9,0

MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL 
ENREDO: “Avenida Brasil – tudo passa, quem não viu?”
CARNAVALESCO(S): Renato Lage.
Componentes: 11 masculinos.
Nome da fantasia: “Tripé – Batedores da Mocidade”.
O que representou: “Como em todo desfile que se preze, não poderíamos deixar de ressaltar
os Batedores que têm importante papel aqui apresentados: o de abrir o desfile e o caminho para
a Mocidade Independente de Padre Miguel passar”.
Coreógrafo(s): Cláudia Ribeiro.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0

IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE 
ENREDO: “Catarina de Médicis na Corte dos Tupinambôs e Tabajères”.
CARNAVALESCO(S): Rosa Magalhães.
Componentes:  15 masculinos (Edson, Monsueto, Isnard, Marcelo Pintinho, Cosme,
Handerson, Tarzã, Luís Carlos, Valério, Enéas, Eduardo Salgado, Ricardo, Paulo Rangel,
Márcio e Marcelo).
Nome da fantasia: “Dançarino da Corte”.
O que representou: “O traje representa um dançarino da Corte. É interessante notar que até
mesmo os reis e nobres não só assistiam aos espetáculos como faziam aparições em números
coreografados. Além de dança específica, os 15 homens apresentam a escola e saúdam o
público, na forma mais tradicional.” e “...a coreografia era trabalhada com leques de 70
centímetros de comprimento, de um lado verde, do outro, dourado, o que possibilitou grandes
efeitos na avenida”.
Coreógrafo(s): Fábio de Mello.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0

CAPRICHOSOS DE PILARES
ENREDO: “Estou amando loucamente uma coroa de quase 90 anos”.
CARNAVALESCO(S): Luiz Fernando Reis.
Componentes: 06 femininos e 07 masculinos.
Nome da fantasia: “Casais em passeio”.
O que representou:  “É início do século, a belle-epoque invade o mundo inteiro, e também
nosso Rio de Janeiro. Avenida Central é o passeio predileto de casais enamorados que bailam
embalados por uma brisa nova, um cheiroso e aconchegante ar de nova metrópole que surgia.
Esse vento os inebria e os conduz décadas a frente aos Dancing da avenida. É o corta jaca, o 55
tango, a valsa e o bolero passando pela avenida. É  com todo o capricho que apresentamos
nossa Comissão de Frente”.
Coreógrafo(s): Jerônimo.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,5

TRADIÇÃO 
ENREDO: “Passarinho, passarola, quero ver voar”.
CARNAVALESCO(S): Lícia Lacerda.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Guerreiros do sonho alado”.
O que representou:  “Representando 15 GUERREIROS ALADOS, os componentes da
Comissão de Frente serão o próprio desafio do sonho de voar. Sintetizam nas plumas a
inspiração do vôo dos pássaros; nas asas angelicais, os mitos, nas engrenagens, a máquina
voadora e no traje guerreiro, a aventura, a ousadia e a coragem do sonhador”.
Coreógrafo(s): Jorge Paes Leme.
Pontuação: 9,5 – 9,5 – 9,0

UNIÃO DA ILHA DO GOVERNADOR
ENREDO: “Abracadabra – o despertar dos mágicos”.
CARNAVALESCO(S): Chico Spinosa.
Componentes: 01 feminino e 14 masculinos.
Nome da fantasia: (?)
O que representou: “O homem conquistou a posição de Semi-Deus, a partir do momento que
dominou o poder mágico do fogo”.
Coreógrafo(s): Dill Costa.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0


ACADÊMICOS DO GRANDE RIO
ENREDO: “Os santos que a África não viu”.
CARNAVALESCO(S): Lucas Pinto.
Componentes: 13 masculinos.
Nome da fantasia: “Zé Pilintra”.
O que representou:  “A Comissão de Frente da Grande Rio veste-se como o conhecido e
popular Zé Pilintra (malandro que caracteriza a figura do sambista), envergando sobre os
ombros a noite que lhe pertence para contar a estória de seu santo de fé OGUM, sincretizando
no Brasil na figura de São Jorge. Através dessa linda estória espera-se dar documento e
conhecimento de como esse OGUM conheceu a Umbanda Brasileira derivada do catimbó, uma
fé que começou no Nordeste somando em si a mistura dos cultos ciganos, católicos, indígenas,
africanos, e que, posteriormente, criou as suas próprias imagens e cultos”.
Coreógrafo(s): Renato.
Pontuação: 9,0 – 9,0 – 8,5


BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS 
ENREDO: “Margaret Mee, a dama das bromélias”.
CARNAVALESCO(S): Milton Cunha.
Componentes: 07 femininos e 07 masculinos.
Nome da fantasia: “O beija-flor e a bromélia”.
O que representou:  “Simboliza o cortejo do beija-flor à bromélia, ambos retratados nas
aquarelas de Margaret Mee. A bromélia é um reservatório natural de água, onde os beija-flores
vêm saciar sua sede. Um ‘pas-de-deux’ delicado e alegre, como a obra da ‘Dama das
Bromélias’. Um exemplo perfeito de integração do velho (a sapatilha clássica, o passado) como
novo mundo (o samba, o presente, a alegria). Um samba sambado na ponta da sapatilha”.
Coreógrafo(s): Carlos Muvuca.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0

ACADÊMICOS DO SALGUEIRO 
ENREDO: “Rio de lá pra cá”.
CARNAVALESCO(S): Roberto Szaniecki.
Componentes: 15 masculinos (Zeca, Mauro Angelim, Renato, Luís Cláudio, Mocyr, Jorge
Cruz, Jorge Pitanga, Ricardão, Ricardo Xuxa, Leleu, Edmar, Luís Cláudio, Álvaro, Sérgio,
Coronel Newton).
Nome da fantasia: “Francoios”.
O que representou: “Mistura dos franceses com índios Tamoios”.
Coreógrafo(s): Suzana Braga.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 9,0

ESTÁCIO DE SÁ
ENREDO: “S.A.A.R.A. – A Estácio chegou no lê-lê-lê de alalaô”.
CARNAVALESCO(S): Alexandre Louzada.
Componentes: 01 feminino e 14 masculinos.
Nome da fantasia: “Os mercadores do Oriente”.
O que representou:  “Representando os Mercadores do Oriente (componentes masculinos),
nossa Comissão de Frente executará suas funções precípuas a partir de movimentos corporais e
desenhos coreográficos que aliam a magia dos Mercadores de outrora com a malandragem dos
‘camelôs’ de hoje. A componente feminina (Jussara Pádua) surge como mais uma das
mercadorias cobiçadas e comercializadas pelos Mercadores do Oriente”.
Coreógrafo(s): Jussara Pádua.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 8,0

PORTELA 
ENREDO: “Quando o samba era samba”.
CARNAVALESCO(S): José Félix.
Componentes: 07 femininos e 07 masculinos.
Nome da fantasia: “Dançarinos de Lundu”.
O que representou: “O Lundu foi uma das formas antigas de dança de umbigada. ‘LUNDU.
Lundum, landu, londu, dança e canto de origem africana, trazidas pelos escravos bantos,
especialmente de Angola, para o Brasil. A chula, o tango brasileiro, o fado, nasceram ou muito
devem ao lundu. Era bailado de par solto, homem e mulher.’ (Luís da Câmara Cascudo)
Desde meados do século XVIII até fins do século passado, o lundu esteve em voga em quase
todo o Brasil. Foi a primeira dança a ascender as camadas ricas da sociedade. Na mesma linha
do batuque ou samba segue o lundu.
‘no centro de uma roda de espectadores, um par solista desenvolve a dança que consta de
sapateado, meneios acentuados dos quadris e umbigada.’ (Oneyda Alavarenga)
A áspera sensualidade primitiva do batuque civilizou-se ao se transformar em dança urbana. O
lundu dissipou-se noutras danças, perdendo o nome,  seguindo como uma modalidade de
canção. Sua coreografia evoluiu para o samba solto, sacudido, ou seja, a batucada. O lundu
muito contribuiu pra formar o repertório do samba carioca e do partido-alto.
- 7 CASAIS EVOLUEM, DANÇANDO O LUNDU, COM TRAJES AFRICANOS, AINDA O
LUNDO NA SUA FASE PRIMITIVA”.
Coreógrafo(s): Jerônimo da Silva Patrocínio.
Pontuação: 10,0 – 9,5 – 8,5


FONTE: Livro "Comissão de Frente: Alegria e Beleza pedem passagem" de Júlio César Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário