Aqui elas dão show!

Loading...

domingo, 27 de novembro de 2011

Comissões de frente 2003

Neste ano, a campeã foi a Beija-Flor, com o enredo  O Povo Conta a sua História:
Saco Vazio Não Pára em Pé – A Mão que faz a Guerra faz a Paz. Outro marco importante no
que se refere à comissão de frente ocorreu neste ano, com Joãosinho Trinta na Grande Rio,
com o redimensionamento dos tripés e mini-alegorias, apresentando tripés de 8 metros de
altura, com os quais os componentes interagiam.


ACADÊMICOS DE SANTA CRUZ
ENREDO: “Do universo teatral à ribalta do Carnaval”.
CARNAVALESCO(S): Cahe Rodrigues.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Os sátiros”.
O que representou:  “A fantasia da Comissão de Frente do G.R.E.S. Acadêmicos de Santa
Cruz representa os ‘Sátiros’: são semideuses rústicos, apresentando chifres curtos e patas de
bode. Eram irmãos das ninfas e companheiros do deus Dionísio, em honra de quem dançavam
e brincavam, transmitindo entusiasmo”.
Coreógrafo(s): Carlinhos Muvuca.
Pontuação: 9,7 – 9,6 – 9,4 – 8,7

ACADÊMICOS DO SALGUEIRO 
ENREDO: “Salgueiro, minha paixão, minha raiz, 50 anos de glória”.
CARNAVALESCO(S): Renato Lage.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Academia do Samba”.
O que representou:  “A fantasia da Comissão de Frente procura reproduzir, nas cores da
Escola, a elegância dos sambistas do morro do Salgueiro, trajados com fraque, cartola e
bengala tradicionais. Resgata o garbo e o orgulho com que os ‘acadêmicos’ saíam às ruas,
espalhando poesia através dos seus sambas.
A proposta do trabalho é homenagear o cinqüentenário da tradicional agremiação Escola de
Samba Acadêmicos do Salgueiro, mostrando uma releitura das tradicionais Comissões de
Frente do Salgueiro e do Carnaval Carioca. No decorrer da pesquisa realizada sobre a gloriosa
trajetória do Salgueiro, observamos a elegância, o  charme, a beleza e glamour destes
conjuntos vestidos de fraque e cartola que, à frente da agremiação, traziam consigo a
autoridade e majestuosidade na apresentação da Escola, valores e características que não
podem ficar esquecidas e tão pouco abandonadas, principalmente ao se comemorar meio
século de tradição e história. Para restaurar e valorizar estas apresentações, e não cair numa
tendência de simples negação da evolução criativa e inovadora do Carnaval de hoje reunimos,
neste trabalho, uma concepção dinâmica, na qual a Comissão de Frente recupera do passado 95
sua tradição elegante e pomposa de saudar o público e apresentar a Escola, e ainda retratar seu
conteúdo de maneira ágil e moderna. Numa coreografia, com características minimalistas, que
procura valorizar a expressividade do gesto e traduzir em alguns movimentos oriundos das
danças africanas, a vitoriosa trajetória do Salgueiro em Carnavais com enredos afrobrasileiros, e ainda, marcar de forma concreta a idéia da construção e reconstrução, de algo
vivo, moderno e atual para este Carnaval. Através da utilização dinâmica dos elementos
temáticos do figurino, buscar surpreender e identificar a Comissão de Frente com seu público,
seu cotidiano, o simbolismo da construção e com uma nova maneira de vermos a força e
beleza das antigas Comissões”.
Coreógrafo(s): Marcelo Misailidis.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,7 – 9,2

ACADÊMICOS DO GRANDE RIO
ENREDO: “O nosso Brasil que Vale”.
CARNAVALESCO(S): Joãozinho Trinta.
Componentes: 14 masculinos.
Nome da fantasia: “O velho e sábio tempo”.
O que representou:  “O enredo (...) começa com a imagem de Velho Sábio  TEMPO,
chamado na Mitologia Grega de CHRONOS. Durante bilhões e bilhões de anos ele elaborou,
no interior do Globo Terrestre, o REINO MINERAL. Criou as maravilhas minerais. Pedras
Preciosas e Metais Raros forma forjados nos Mundos  Subterrâneos, mas foi PARACELSO,
um alquimista, médico e filósofo medieval, quem nos falou de GNOMOS E DUENDES. São
seres que tem duas naturezas, uma física e outra espiritual. Os GNOMOS são ELEMENTAIS
DA TERRA, as ONDINAS das ÁGUAS, as SALAMANDRAS DO FOGO e os ELFOS do
Ar. Espalhados por todo o mundo ele tem diversas aparências. Pequeninos e maiores, feios e
bonitos, bons e maus. Os GNOMOS vivem nas Florestas em jardins e no interior da terra entre
pedras e raízes. Por isso, a concepção da COMISSÂO DE FRENTE (...) oscila entre o REAL
e a FANTASIA. Entre o CONCRETO e o CRIATIVO. No ESPAÇO DO SONHO que o
CARNAVAL permite. Na Comissão de Frente vemos MONTANHAS DE PEDRAS
lembrando VELHOS CHRONOS, habitadas por ELEMENTAIS  DA TERRA. Saídos das
entranhas do REINO MINERAL eles trazem, em seus corpos, o colorido da natureza e dos
minerais. Movimentam-se com a elasticidade de seres livres e identificados como seu
UNIVERSO. São ELEMENTAIS. Entendem a linguagem geométrica. Por isto dançam. Os
desenhos que esculpem com seus corpos, belos e ágeis, refletem a Matemática Divina
plasmadora do REINO MINERAL, o chamado TRONO DE DEUS. Este gestual procura
refletir a EXATIDÃO MOLECULAR DOS CRISTAIS, expressão pura e clara da MENTE
ABSTRATA UNIVERSAL. E surge uma Comissão de Frente (...) baseado na CULTURA DO
REINO MINERAL e seus desdobramentos históricos, humanísticos, industriais e sua forte
presença na vida do Homem atual”.
Coreógrafo(s): Renato Vieira.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 10


UNIDOS DO VIRADOURO
ENREDO: “A Viradouro canta e conta Bibi – uma homenagem ao teatro brasileiro”.
CARNAVALESCO(S): Mauro Quintaes.
Componentes:  14 masculinos e 01 feminino (menina) (André, Araújo, Berg, Carlos César,
Darcio, Fernando, João, Leo, Luiz Fernando, Márcio, Paulo Chupeta, Pitanga, Petrônio e
Roberto). 96
Nome da fantasia: “A pequena Bibi e Molière”.
O que representou: “...abrirá o espetáculo, em homenagem à diva Bibi Ferreira, evocando o
teatro. A comissão de frente terá 14 mestres-de-cerimônias, vestidos à moda do autor de O
avarento. A peça é um marco na carreira da atriz e dá nome ao primeiro setor do desfile da
escola”.
Coreógrafo(s): Jussara Pádua.
Pontuação: 10 – 10 – 9,5 – 9,3

IMPÉRIO SERRANO
ENREDO: “E onde houver trevas... que se faça a luz!”
CARNAVALESCO(S): Ernesto Nascimento.
Componentes: 08 masculinos e 07 femininos.
Nome da fantasia: “Os arautos de luz do deus Janus”.
O que representou: “Esta ala simboliza o deus Indo-Romano Janus, deus das transições e das
passagens. Caracterizado pela dualidade de suas duas faces, Janus é responsável pelas
transições entre início e fim, passado e futuro, trevas e luz. Por isso, a Comissão do Frente
deste ano representa os emissários da luz, também conhecidos como os Arautos de Janus,
enviados para iluminar os caminhos da mudança para a Escola e clamar por luz onde antes
existiam trevas. Os Arautos de Janus são representados por sete pares que simbolizam não
apenas as sete cores que compõem o arco-íris, mas também os sete pontos de energia
existentes no homem, conhecidos na cultura hindu como chakras. Em cada par é demonstrada
a dualidade, uma vez que se apresentam as contrapartes masculina e feminina, positiva e
negativa de uma mesma cor, que se interligam e se complementam, formando um único ser,
um todo que se completa nas transições, nas mudanças. O décimo quinto componente da
Comissão de Frente é o símbolo desta mudança, através do branco, que nada mais é que a
fusão das cores, trazendo em si a explosão da luz onde antes havia apenas trevas, com o
objetivo, junto com os outros componentes da Comissão de Frente, não só de apresentar a
Escola na Avenida, mas também de serem os primeiros raios luminosos a desfazer a escuridão
em todas as suas formas”.
Coreógrafo(s): Paulo Fernandes Mazzoni.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,6 – 9,0

CAPRICHOSOS DE PILARES 
ENREDO: “Zumbi, rei de Palmares e herói do Brasil. A História que não foi contada”.
CARNAVALESCO(S): Jaime Cezário.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Homens Leopardos”.
O que representou:  “No final do século XVI, na África ocidental, Impérios Tribais
floresciam e impunham respeito pela força dos seus exércitos de guerreiros, o Rei era cercado
por uma guarda especial, cuja função era defender a sobrevivência do clã representado pelo
monarca e garantir a sucessão ao trono. Era a Sociedade dos Homens Leopardos, esta guarda
pretoriana, era composta por generais e oficiais e exerciam o controle direto sobre o povo e
asseguravam a sucessão ao trono. A Comissão de Frente representará a Sociedade dos
Homens Leopardos, sendo composta por 14 homens que  representarão esta guarda especial
em proteção ao grande Rei Africano que será representado por um integrante da Comissão de
Frente”.
Coreógrafo(s): Oswald Barry.
Pontuação: 10 – 9,8 – 9,5 – 8,9

PORTELA
ENREDO: “Ontem, hoje, sempre Cinelândia – o samba entra em cena na Broadway
Brasileira”.
CARNAVALESCO(S): Alexandre Louzada.
Componentes: 07 masculinos e 08 femininos.
Nome da fantasia: “...E o vento levou” (Scarlet Ohara e Rhett Butler).
O que representou:  “(...) representa o memorável filme ‘...E o vento levou’ em trajes e
momentos da época do glamour das grandes produções  cinematográficas e ao apresentar a
Escola faz referência especial à Águia, entregando-lhe o tão merecido ‘Oscar’ por todo o
conjunto de sua obra carnavalesca ao longo de seus  quase 50 anos de Escola de Samba de
maior número de títulos conquistados e por ser ela, a Águia da Portela, a nossa grande estrela.
(...) Nos vários momentos do filme, a cena do grande baile e a cena final são mais enfatizadas,
motivo este que, neste momento, não se respeita à simetria da dança, nem a sincronia, como
eram os bailes na época. Já nos momentos de cerimônia em que a Comissão de Frente
apresenta a agremiação, a simetria e sincronia são totalmente respeitadas. A Comissão conta
também com um personagem, que é grande surpresa, mostrando a importância do coadjuvante
e esse personagem interagindo com o grande símbolo da Escola”.
Coreógrafo(s): Gabriel Cortes.
Pontuação: 9,8 – 9,8 – 9,4 – 9,3

TRADIÇÃO
ENREDO: “O Brasil é penta, R é 9 – o fenômeno iluminado”.
CARNAVALESCO(S): Orlando Júnior.
Componentes: 15 femininos.
Nome da fantasia: “Momento olímpico”.
O que representou:  “15 ginastas campeãs estaduais – 3º lugar Panamericano. 2º
Gymnaestrada na Alemanha e na Suécia irão participar pela CBG, em julho em Portugal, do
próximo campeonato. É exatamente esta arte que estas meninas maravilhosas pretendem
apresentar na Marquês de Sapucaí...”
Coreógrafo(s): Gladys Barão.
Pontuação: 9,8 – 9,5 – 9,5 – 9,0

ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA 
ENREDO: “Os dez mandamentos – o samba da paz canta a saga da liberdade”.
CARNAVALESCO(S): Max Lopes.
Componentes: 05 femininos e 10 masculinos.
Nome da fantasia: “A caravana de hebreus”.
O que representou: “Os números de ilusionismo foram usados para contar a história de como
Moisés ouviu o chamado de Deus para transmitir os ensinamentos para o povo hebreu. No
Monte Sinai, Moisés levitou. Para que isso ocorresse na Sapucaí, Carlinhos (de Jesus) contou
com a ajuda de um elevador, que de forma bem discreta suspendeu o pequeno banco em que
estava sentado o coreógrafo. Para dar a impressão de que estava mais próximo de Deus, ele
fez surgir borboletas. A inscrição paz nas tábuas dos Dez Mandamentos foi feita com fogo,
mágica que se repetiu diversas vezes ao longo do desfile (...) Ao redor do Monte Sinai, 15 98
bailarinos representaram as pragas do Egito: rãs, gafanhotos e piolhos que, por meio da dança,
comunicavam-se com Deus, pedindo paz no mundo” (O Globo, 05/03/03).
Coreógrafo(s): Carlinhos de Jesus.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 9,5

BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS 
ENREDO: “O povo conta a sua História – saco vazio não pára em pé – a mão que faz a
guerra, faz a paz”.
CARNAVALESCO(S): Comissão de carnaval (Cid Carvalho, Shangai e Laíla).
Componentes:  15 femininos (Bailarinas: Adriana Victor Mendes, Érika Serrão da Costa,
Carla Martins, Claudia Antonia Radusewsky, Débora Amaral, Flavia Caroline Leal, Flavia
Nascimento, Gisele Souza, Julia Oliveira, Maria Pammella Melo e Silva, Mônica Victorino,
Patrícia Lourenço de Oliveira, Simone Azevedo, Valeria Portela e Vivian Santos).
Nome da fantasia: “O reino das sombras e o império da luz – o duelo das forças do universo”
O que representou:  “Há muito tempo atrás apenas o amedrontador domínio das trevas
existia. A Legião do Mal  se encarregava de tornar tudo ainda mais aterrorizante. Mas, uma
força ainda maior anunciou a criação de um novo domínio, o Império da Luz. Seu brilho podia
ser visto no infinito graças ao cintilar da  Legião do Bem. Era o início dos tempos, o
nascimento do mundo e o começo de um conflito que se estenderia por toda a eternidade,
transformando-o em um ardente campo de batalha onde seria travado o duelo entre duas
poderosas forças. De um lado o Unicórnio, de natureza digna e pura, abençoado com o dom
da purificação; De outro, os  Quatro Cavaleiros do Apocalipse, portadores da guerra, da
fome, da peste e da morte. Explode o confronto entre o bem e o mal, uma disputa de forças
que só será extinta pelo poder que está dentro de cada um de nós: A Perseverança”.
Coreógrafo(s): Ghislaine Cavalcanti.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 10

UNIDOS DA TIJUCA
ENREDO: “Agudás, os que levaram a África no coração, e trouxeram para o coração da
África, o Brasil”.
CARNAVALESCO(S): Milton Cunha.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Pregoeiros de delícias baianas”.
O que representou:  “Representam os pregoeiros de delícias baianas que  percorriam as
ladeiras de Salvador nos tumultuados meados do século 19: tradições de vários povos e etnias
se misturando num caldeirão onde os tabuleiros representam o encontro de muitos mundos:
barco de Yaôs, dança dos animais, a mesquita islâmica, a adoração da serpente dragão, todos
os elementos presentes na epopéia aguda”.
Coreógrafo(s): Nino Giovannetti.
Pontuação: 10 – 9,9 – 9,5 – 9,5

UNIDOS DO PORTO DA PEDRA 
ENREDO: “Os donos da rua, um jeitinho brasileiro de ser!”
CARNAVALESCO(S): Mario Borriello.
Componentes: 02 femininos e 13 masculinos (Grupo Tá na Rua).
Nome da fantasia: “Flagrantes da vida nas ruas cariocas”.
O que representou: “Ela representará, ao longo da Sapucaí, flagrantes  da vida nas ruas do
Rio de Janeiro nos dias de hoje”.
Coreógrafo(s): Amir Haddad.
Pontuação: 10 – 9,8 – 9,6 – 9,0

MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL  
ENREDO: “Para sempre no seu coração – Carnaval da doação”.
CARNAVALESCO(S): Chico Spinosa.
Componentes: 08 femininos e 07 masculinos.
Nome da fantasia: “A divina forma humana”.
O que representou:  “O corpo humano é uma obra criada com perfeição. Todos os seus
órgãos funcionam como verdadeiras engrenagens de uma máquina. A Comissão de Frente da
Mocidade mistura essa máquina humana com a máquina da folia e dentre corpos expostos em
sua plenitude surgem figuras representando a folia, pois afinal estamos no Carnaval. A atriz e
bailarina Dill Costa faz uma participação especial  na apresentação da Comissão de Frente,
após alguns anos afastada de sua escola de coração, retorna em grande estilo representando a
grande Estrela da Mocidade nessa abertura magistral”.
Coreógrafo(s): Paulo Mantuano.
Pontuação: 10 – 10 – 9,8 – 9,4


IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE
ENREDO: “Nem todo pirata tem a perna de pau, o olho de vidro e a cara de mau...”
CARNAVALESCO(S): Rosa Magalhães.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Piratas”.
O que representou: “A Comissão de Frente representa um grupo de piratas agindo como tal.
É uma fantasia coreográfica para servir a introdução ao Enredo e também à apresentação da
Escola.” Os 15 homens interagiam com o abre-alas onde estava escondido um tesouro
alegórico”.
Coreógrafo(s): Fabio de Mello e Luciana Yegros.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 9,5

FONTE: Livro "Comissão de Frente: Alegria e Beleza pedem passagem" de Júlio César Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário