Aqui elas dão show!

Loading...

domingo, 27 de novembro de 2011

Comissões de frente 2002

Neste ano, a campeã foi a Mangueira, com o enredo Brasil com z é pra cabra da peste,
Brasil com s é Nação do Nordeste.

SÃO CLEMENTE 
ENREDO: “Guapimirim, paraíso ecológico abençoado por Deus”.
CARNAVALESCO(S): Comissão de Carnaval (Lane Santana, Sônia Regina, Alberto
Rashyd e Nonato Trinta).
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “A São Clemente e seu pavilhão”.
O que representou:  “Carnaval a grande festa pagã. As origens do Carnaval são remotas,
acredita-se que iniciou nas festas em homenagem a deusa Ísis e o touro Ápis, entre os
egípcios; a deusa Herta, entre os teustões; ou ainda nas Bacanais, Saturnais e Lupercais, entre
os gregos e romanos. O Carnaval com suas máscaras... O Carnaval com suas fantasias...
Confundiu-se com a comédia Del’Arte na Renascença. No Carnaval do Brasil no século XX,
surgiram as escolas de samba que hoje transformam o seu desfile numa grande ópera
popular. A Comissão de Frente do G.R.E.S. São Clemente comemorando os seus 40 anos de
fundação homenageia o seu pavilhão, saudando o público e apresentando a escola”.
Coreógrafo(s): Paulo Medeiros.
Pontuação: 9,0 – 9,0 – 9,2 – 8,5

CAPRICHOSOS DE PILARES
ENREDO: “Deu pra ti! Tô em alto astral! Tô com Porto Alegre, trilegal!”
CARNAVALESCO(S): Jaime Cezário.
Componentes: 14 masculinos.
Nome da fantasia: “O Sul é minha terra e esta é a cidade que eu amo! Cavaleiro dos pampas”
O que representou: “Era um sonho do nosso jovem adolescente ser um bravo cavaleiro dos
pampas, de um heróico período de verdadeiras sagas, histórias em defesa da terra que
enchem de orgulho a memória do povo da região”.
Coreógrafo(s): Oswald Barry.
Pontuação: 9,7 – 9,5 – 9,4 – 9,0

UNIDOS DA TIJUCA 
ENREDO: “O Sol brilha eternamente sobre o mundo de Língua Portuguesa”.
CARNAVALESCO(S): Milton Cunha.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “A Tijuca celebra as navegações, apresenta Camões e pede passagem”.
O que representou:  “Homens Pavões, comemorando os 70 anos de existência da Tijuca,
vestidos de navegadores seiscentistas, trazem para  a Passarela do Samba dois dos maiores
símbolos do Mundo de Língua Portuguesa: o delirante e apaixonante Luís de Camões com a
primeira página d’Os Lusíadas; e o barco, que em si reúne a idéia de navegação através da
qual o idioma desembarcou nos quatro cantos do planeta. Camões e a viagem dos Lusíadas
num barquinho de papel. A Comissão de Frente (...)  composta por Camões e bravos
navegadores lusitanos, nos traz uma versão poética  e inocente dos caminhos da língua
portuguesa, através dos sete mares, para os quatro  cantos do mundo. Uma página se
desprende do grande poema, caindo no mar e ganhando o mundo como um barquinho de
papel, intimorato para seguir seu grandioso destino. Navegar foi preciso para que as tradições
e a cultura da língua portuguesa, poeticamente evidenciadas por Camões, traduzissem o
desejo incontido de expansão e de harmonia que a Unidos da Tijuca procura, nesses poucos
minutos, apresentar e expressar ao público. Esta é  a celebração tijucana do nascimento do
Mundo de Língua Portuguesa”.
Coreógrafo(s): Marcelo Misailidis
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0

ACADÊMICOS DO GRANDE RIO
ENREDO: “Papagaios amarelos nas terras encantadas do Maranhão”.
CARNAVALESCO(S): Joãosinho Trinta.
Componentes: 01 feminino e 14 masculinos.
Nome da fantasia: “Rei menino e Rainha”.
O que representou:  “...representa a Corte Francesa. No ano 1612, quando o Rei era a
criança Luís XIII, com 11 anos de idade e quem governava era a Regente Rainha Maria
Médicis, toda Corte participava das festas da partida de uma esquadra que iria conquistar as
terras do Maranhão, onde seria fundada a França Equinocial. O Rei Luís XIII é representado
pelo garoto Luidy, um passista nato. Cinco negros encarnam ‘Blacks – Moors’, levam
alegorias com a flor-de-lis, símbolo da França, e ajudam a Rainha a carregar o seu manto.
Oito nobres franceses compõem este cortejo com suas roupagens empunhando estandartes do
reino. A invasão do Maranhão foi considerada um grande trunfo para o reino da França. A
coreografia (...) relembra as grandes festividades que aconteciam em momentos importantes
para o reinado da França”.
Coreógrafo(s): Bira Xavier.
Pontuação: 9,8 – 9,5 – 9,5 – 9,5


TRADIÇÃO
ENREDO: “Os encantos da Costa do Sol”.
CARNAVALESCO(S): Orlando Júnior.
Componentes: 14 masculinos (14 bailarinos com passagem pelo Teatro Municipal e
pertencentes a grandes Grupos de Balé).
Nome da fantasia: “Américo Vespúcio – um homem de muitas ‘frentes’”.
O que representou: “...irá representar uma coreografia descritiva do samba-enredo. Durante a
apresentação haverá um momento mágico, respeitando o gesto de Américo Vespúcio ao beijar
o chão da Terra Prometida, ao desembarcar em Cabo Frio, em 1503”.
Coreógrafo(s): Roberto Lima.
Pontuação: 9,8 – 9,8 – 9,5 – 9,5

ACADÊMICOS DO SALGUEIRO
ENREDO: “Asas de um sonho. Viajando com o Salgueiro, o orgulho de ser brasileiro”.
CARNAVALESCO(S): Mauro Quintaes.
Componentes: 15 masculinos (Igor Leonardo Buzato, Rogerson W. T. do Nascimento, Danilo
A. M. Ferreira, Eduardo de S. Pacheco, Rangel de Oliveira, Roderigo Assiny, Nelson R. Para,
Erick Henkell, Carlos Mota, Vicente Rios, Leandro Leal, Ricardo Lancina, João Paulo,
Roberto Machado e Edyrley Correa).
Nome da fantasia: “O bailar dos pássaros – a pioneira inspiração do mundo”.
O que representou: “...Não foram poucos os que contribuíram para as primeiras concepções
aeronáuticas. Desde as primeiras aves, como, por exemplo, a ‘archaeopteyx’ – há 150 milhões
de anos...”
Coreógrafo(s): Caio Nunes.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,8 – 9,5

BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS
ENREDO: “O Brasil dá o ar da sua graça. De Ícaro a Ruben Berta, o ímpeto de voar”.
CARNAVALESCO(S): Comissão de Carnaval (Cid Carvalho, Fran-Sérgio, Nelson Ricardo,
Shangai, Ubiratan Silva e Victor Santos).
Componentes: 15 femininos.
Nome da fantasia:  “O dom divino de voar” / “Beija-Flores a bailar – inspiração que fez o
homem voar”.
O que representou: “O beija-flor é admirado como o pássaro mais delicado e encantador. Não
há como não ficar encantado com as suas aparições e foram, justamente elas, que fizeram
brotar no coração do homem o ímpeto de voar... Ágeis e irrequietos em suas lindas e variadas
cores, encantam a todos aqueles que observam as admiráveis coreografias que eles desenham
no ar. Voando sem parar, em todas as direções com uma velocidade e agilidade que, sem
dúvida, são suas características mais marcantes.  Como pequeninos mísseis alados, cortam o ar
em manobras inesperadas e parecem nada temer. Suas asas invisíveis, de tão rápidas, permitem
grandes façanhas, até mesmo enfrentar pássaros  cem vezes maiores. Por isso, são considerados
campeões de vôo. Sua plumagem colorida e brilhante dá a impressão de mudar de tonalidade a
cada instante, originando a grande variedade de denominações que recebem. Alguns colibris
são comparados a pedras preciosas, como rubi, safira ou esmeralda; outros têm nomes de
contos de fadas; há ainda aqueles que lembram corpos celestes, cometas ou raio de sol.
Nenhum outro pássaro se compara aos beija-flores. Eles se lançam como uma flecha para
frente e para trás, para os lados, para cima e para baixo; podem dar marcha a ré ou ficar 92
parados no ar batendo as asas com incrível rapidez. Nesse movimento elas ficam quase
invisíveis, mas chegando bem perto é possível ouvir seu zumbido. Em poucos segundos eles já
estão longe, sem que os olhos possam perceber”.
Coreógrafo(s): Ghislaine Cavalcanti.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0


UNIDOS DO PORTO DA PEDRA
ENREDO: “Serra acima, rumo à terra dos coroados”.
CARNAVALESCO(S): Cahe Rodrigues.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Espíritos coroados”.
O que representou: “...uma criação livre do carnavalesco (...) e traz para o início do desfile
misteriosas figuras que saúdam e convidam o público a participar desta viagem...serra acima...!
Tais figuras são inspiradas nos espíritos da floresta, tão freqüente nas lendas nativas brasileiras,
visualizadas desta feita, com elementos que sugerem o ancestral e irrevogável destino da região
– a nobreza. A sugestão plástica que une elementos indígenas e diversos símbolos imperiais,
dão a estes personagens uma extraordinária aparência e nos leva a melhor entender a seqüência
de culturas que se fundiram para a criação da Cidade Imperial”.
Coreógrafo(s): Nino Giovanetti.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,7 – 9,5


ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA
ENREDO: “Brasil com z é pra cabra da peste, Brasil com s é nação do Nordeste”.
CARNAVALESCO(S): Max Lopes.
Componentes: 06 femininos e 09 masculinos.
Nome da fantasia: “Casamento de Lampião e Maria Bonita”.
O que representou:  A celebração do casamento de Lampião e Maria Bonita em uma festa
junina. Com padre e cinco caipiras retirantes nordestinos trazendo malas, de onde saiam cinco
mulheres/bonecas contorcionistas.
Coreógrafo(s): Carlinhos de Jesus.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0

IMPÉRIO SERRANO
ENREDO: “Aclamação e coroação do Imperador da Pedra do Reino: Ariano Suassuna”.
CARNAVALESCO(S): Ernesto Nascimento.
Componentes: 07 femininos e 08 masculinos(componentes da Escola Nacional do Circo,
atores e bailarinos).
Nome da fantasia: “Brincantes”.
O que representou: “Personagens que participam de folguedos populares nordestinos”.
Coreógrafo(s): Paulo Manzoni.
Pontuação: 10,0 – 9,9 – 9,9 – 9,8

MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL 
ENREDO: “O grande circo místico”.
CARNAVALESCO(S): Renato Lage.
Componentes: 03 femininos e 11 masculinos (Componentes cedidos  pela Marcos Frota
Produções Artísticas).
Nome da fantasia: “Beatriz entre os palhaços”.
O que representou: “O Grande Circo Popular do Brasil
                                        Beatriz entre os palhaços
                                  ...Sim, me leva para sempre, Beatriz
                              Me ensina a não andar com os pés no chão
                                    Para sempre é sempre um triz
                             Ai, diz quantos desastres tem na minha mão
                                   Diz se é perigoso a gente ser feliz...”
Chico Buarque e Edu Lobo
Coreógrafo(s): Marcos Casuo.
Pontuação: 10,0 – 9,9 – 9,8 – 9,7

IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE
ENREDO: “Goytacazes... Tupi or not tupi, in a south american way!”
CARNAVALESCO(S): Rosa Magalhães.
Componentes: 15 masculinos (Luiz Cláudio, Claudinei Moraes, André Luis Costa, Ricardo
Correa, Maurício Silva, Edivaldo Falcão, Cosme Martins, Fernando Queiroz, Higor Martins,
Valério Guidinele, Rener Ramos, Enéas Hatischvili,  Edvaldo Moreira, Handerson Lopes, Elio
Santos, Jairo Guerreiro)
Nome da fantasia: “Bicho Papão”.
O que representou: “Integrados ao Abre-Alas, representam figuras do folclore brasileiro – o
Bicho Papão, também chamado de Cuca, grande comedor de gente”.
Coreógrafo(s): Fabio de Mello.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 10,0

UNIDOS DO VIRADOURO
ENREDO: “Viradouro, Vira-Mundo, Rei do Mundo”.
CARNAVALESCO(S): Chico Spinosa.
Componentes: 15 masculinos (Berg, Carlos Pequeno, Castilho, Dácio, José Carlos Araújo,
Léo, Luís Fernando, Márcio Moura, Nando, Nivaldo, Paulo Chupeta, Petrônio Filho,
Roberto, Sérgio e Silvelir).
Nome da fantasia: (?)
O que representou:  “...vem representando o homem moderno que absorve,  como por
osmose, a força da revolução industrial e cibernética e desfila neste mundo metálico, plástico
e mutante de uma sociedade robotizada”.
Coreógrafo(s): Jussara Pádua.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 9,7

PORTELA
ENREDO: “Amazonas, esse desconhecido! (Delírios e verdades do Eldorado Verde)”.
CARNAVALESCO(S): Alexandre Louzada. 94
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Espanhóis em busca do Eldorado”.
O que representou: “...representa o conquistador Francisco de Orellana e seus soldados que
tinham a ilusão de encontrar naquela região o Eldorado”.
Coreógrafo(s): Gabriel Cortes.
Pontuação: 10,0 – 10,0 – 10,0 – 9,5

FONTE: Livro "Comissão de Frente: Alegria e Beleza pedem passagem" de Júlio César Farias

Nenhum comentário:

Postar um comentário