Aqui elas dão show!

Loading...

domingo, 27 de novembro de 2011

Comissões de frente 2006

Neste ano, a campeã foi a Vila Isabel, com o enredo Soy loco por ti, América: a Vila
canta a latinidade.


 ACADÊMICOS DO SALGUEIRO
ENREDO: “Microcosmos: o que os olhos não vêem, o coração sente”.
CARNAVALESCO(S): Renato Lage e Márcia Lávia.
Componentes: 15 masculinos (09 são da comunidade, 05 são bailarinos e 01 é acrobata)
Nome da fantasia: “Tecendo a vida”.
O que representou:  “Vai começar o menor espetáculo da Terra. O Microcosmos pede
passagem e inicia seu desfile revelando o balé de seres presentes no grande show que a
todo momento a natureza nos apresenta. Com seus movimentos peculiares, as aranhas
estilizadas da Comissão de Frente do Salgueiro são as anfitriãs de um infinito mundo de
formas, desenhando teias de surpresa e mistério que fascinam os olhos humanos. Alguns
povos e culturas consideram as aranhas como as grandes tecelãs do universo. No Salgueiro,
elas trazem consigo grandes hastes que representam  agulhas nas quais tramam todo um
balé que reconstitui simbolicamente o equilíbrio entre as energias cósmicas que atuam no
grande espetáculo do surgimento da vida. Para estes pequenos seres, sua teia é seu
universo! Serve como alçapão para capturar seu alimento (insetos que nela ficam presos),
além de local para acasalamento e criação da prole que garante a continuidade da espécie.
Também é o seu leito e despensa, onde deixam o alimento futuro guardado. Enfim, sua
própria casa! Ampliar a visão sobre estes fenômenos nos indica significações que se
descortinam no processo de evolução dos seres e seus ambientes, cujos ciclos são
fundamentais para o equilíbrio universal. Um convite à arte da contemplação, esta
manifestação humana que traduz a incrível experiência de enxergar o que é realmente
essencial nesta grande teia que se chama universo”.
Coreógrafo(s): Marcelo Misailidis.
Pontuação: 10 – 10 – 9,9 – 9,9


ACADÊMICOS DA ROCINHA 
ENREDO: “Felicidade não tem preço”.
CARNAVALESCO(S): Alex de Souza.
Componentes: 14 masculinos.
Nome da fantasia: “Aparência, nada mais...”
O que representou: “Quatorze figuras simbolizam o que representamos em uma sociedade
de consumo, onde muitas vezes mais vale TER DO QUE  SER. Semelhantes a bonecos
articulados, todos iguais, totalmente despojados COM UMA MÃO NA FRENTE E
OUTRA ATRÁS. Esses personagens têm o mesmo nome: ‘João Ninguém’, são como um
qualquer na multidão. Eles têm como objetos de adoração sete adereços, sete trajes feitos
de notas de dinheiro, jóias, e outras riquezas, que uma vez trajados dão ao seu usuário A
MUDANÇA DE HÁBITO, de comportamento, e de vida, ou  a ilusão da imagem. Essas
verdadeiras ‘máscaras’ de corpo inteiro são inspirados nos aristocratas, representados no
filme MY FAIR LADY, a clássica estória de alguém do povo que passa por uma
transformação, recebe um ‘verniz’ e se passa por alguém da alta. A partir daí esses seres
privilegiados serão vistos e tratados de maneira diferente, tornam-se ‘João Alguém’. Mas a
coreografia também mostra como ‘os personagens’ podem mudar de papel a qualquer
momento. Essa primeira cena abre a trajetória de conquista, de realização dos sonhos de
consumo que atingem milhões de pessoas, milhões de ‘Joãos’ que querem ser alguém. E de
trilhar um caminho onde o dinheiro é tido como meio e a felicidade seria o fim”.
Coreógrafo(s): Jussara Pádua.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,7 – 9,3


IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE
ENREDO: “Um por todos e todos por um”.
CARNAVALESCO(S): Rosa Magalhães.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Mosqueteiros”.
O que representou: “... a Comissão de Frente buscará uma proposta ousada e criativa de
coreografia para impactar e emocionar mais uma vez a Sapucaí, sem esquecer a sua função
primordial de saudar o público e apresentar a escola. Utilizando um tipo de recurso
cenotécnico nunca experimentados por este grupo, o  trabalho deste ano se inspira nos
filmes épicos para contar a história de Garibaldi, este grande herói brasileiro, em forma de
pantomima”.
Coreógrafo(s): Fabio de Mello.
Pontuação: 9,9 – 9,9 – 9,9 – 9,8

CAPRICHOSOS DE PILARES 
ENREDO: “Na folia com o Espírito Santo, o Espírito Santo caprichou!”
CARNAVALESCO(S): Chico Spinosa.
Componentes: 12 masculinos e 03 femininos.
Nome da fantasia: “O embate inicial”.
O que representou: “Nessa noite de Carnaval entra na Avenida dos desfiles uma tribo azul e
branco, uma tribo suburbana. É a tribo Pilares invadindo terras até então desconhecidas. Essa
tribo é na verdade uma fusão das tribos já encontradas no Espírito Santo no momento do seu
descobrimento. Botocudos e Goitacazes se unem ao suburbano carioca e lutam em busca do
conhecimento e sabedoria. No Carnaval relembramos os rituais de antropofagismo, devorando
as culturas e o legado deixado por nossos antepassados”.
Coreógrafo(s): Paulo Mantuano.
Pontuação: 9,7 – 9,7 – 9,7 – 9,6


UNIDOS DE VILA ISABEL
ENREDO: “‘Soy loco por ti, América’: a Vila canta a latinidade”.
CARNAVALESCO(S): Alexandre Louzada.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Si, nosotros tenemos bananas...”
O que representou:  “A fantasia representa uma brincadeira bem humorada a respeito da
forma jocosa pela qual ficaram conhecidas as Repúblicas Latino-Américas (Repúblicas de
Bananas). A banana foi um dos típicos produtos de exportação dos países da América Central,
Caribe e Equador. Nesses ‘Enclaves Bananeiros’, a empresa norte-americana United Fruit Co.,
possuidora de várias propriedades de terras nos países latino-americanos, foi a principal
produtora e vendedora de bananas. Por volta de 1930, a América Central exportava 38
milhões anuais de cachos. Daí, a expressão que identificou por muitos e muitos anos as
Nações da América Latina. Os quatorze componentes da Comissão de Frente estarão
agrupados em sete duplas. Cada uma das duplas estará trajando uma indumentária que mescla
a banana com o traje típico de um país latino-americano. Os países latino-americanos são: 112
Argentina, Bolívia, Venezuela, Cuba, México, Brasil e Uruguai. O décimo quinto componente
da Comissão de Frente virá interpretando o personagem de Carmen Miranda, ícone da
brasilidade. Ela virá no alto da alegoria que acompanhará a Comissão de Frente. As bananas
em sua coreografia farão uma saudação à cantora”.
Coreógrafo(s): Roberto Lima.
Pontuação: 10 – 10 – 9,8 – 9,8


ACADÊMICOS DO GRANDE RIO
ENREDO: “Amazonas, o Eldorado é aqui”.
CARNAVALESCO(S): Roberto Szanieck.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “Expedição rumo ao Eldorado”.
O que representou:  A fantasia da Comissão de Frente marca o início da expedição de
Francisco Orellana rumo ao tão sonhado Eldorado.
Coreógrafo(s): Renato Vieira.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 9,8


BEIJA-FLOR DE NILÓPOLIS
ENREDO: “Poços de Caldas derrama sobre a terra suas águas milagrosas – do caos inicial à
explosão da vida – água, a nave-mãe da existência”.
CARNAVALESCO(S): Comissão de Carnaval (Laíla, Cid Carvalho, Fran-Sérgio, Shangai e
Ubiratan Silva).
Componentes: 04 masculinos e 11 femininos (Alessandra Oliveira (Netuno), Augusto Vargas
(Caos), Daniele Gomes (Lua), Daniele Santos (Plutão), Denis Gonçalves (Ar), Fernando Júlio
(Terra), Júlia Nogueira (Vênus), Kelly Machado (Mercúrio), Mônica Victorino (Saturno),
Natália Carvalho (Júpiter), Paloma Lago (Fogo), Paula Porto (Terra), Sandro Silver (Água),
Valéria Portela (Urano) e Vivian Borges (Marte)).
Nome da fantasia: “Singularidade – a origem do universo e do planeta água”.
O que representou: “Acredita-se que o universo teve um começo, e que esse começo se deu
com o Big Bang, uma monumental explosão em meio ao caos, ocorrida entre 10 e 15 bilhões
de anos atrás, denominado  singularidade pelos cientistas. Uma pequena partícula originou
milhares de outras partículas e, então, o universo  tal como o conhecemos, originando o
espaço, o tempo, a radiação, a matéria e a tudo que nele existe. Surgem assim os quatro
elementos: o fogo, a água, a terra e o ar. Hoje, ao olhar o céu, sabemos estar contemplando um
espaço imenso, onde se situam bilhões de galáxias, grandes aglomerações de matéria cósmica.
Cada galáxia, por sua vez, é constituída por bilhões de estrelas. O Sol é uma estrela em torno
da qual orbitam nove planetas, um deles a Terra,  o Planeta Água. O Sol e seus planetas,
alguns dos quais possuem um ou mais satélites ao redor, constituem o Sistema Solar,
localizado em uma galáxia chamada Via Láctea”.
Coreógrafo(s): Ghislaine Cavalcanti.
Pontuação: 10 – 9,9 – 9,8 – 9,7

UNIDOS DO PORTO DA PEDRA
ENREDO: “Bendita és tu entre as mulheres do Brasil”.
CARNAVALESCO(S): Cahe Rodrigues.
Componentes: 04 masculinos e 11 femininos. 113
Nome da fantasia: “O mito platônico da criação”.
O que representou: (?)
Coreógrafo(s): Renata Monier.
Pontuação: 9,9 – 9,8 – 9,8 – 9,7

ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA 
ENREDO: “Nas águas do Velho Chico, nasce um rio de esperança”.
CARNAVALESCO(S): Max Lopes.
Componentes: 09 masculinos e 06 femininos.
Nome da fantasia: “Velho Chico – sua gente, suas lendas e vida”.
O que representou: (?)
Coreógrafo(s): Carlinhos de Jesus e Marcelo Moragas.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 9,9

UNIDOS DO VIRADOURO
ENREDO: “Arquitetando folias”.
CARNAVALESCO(S): Mario Monteiro, Kaka Monteiro e Milton Cunha.
Componentes: 09 masculinos e 06 femininos.
Nome da fantasia: “Porta”.
O que representou:  “A Arquitetura é espaço, portanto a Porta é o elemento/símbolo de
entrada nesse espaço: A Porta possui uma função primordial na Arquitetura: ela é a membrana
mais fina entre o espaço interno e o externo. A porta é a síntese do conceito arquitetônico já
que permite: entrar e sair, começar e terminar, encher e esvaziar. A Porta é o indicar do
simbólico da entrada de um espaço, portanto ela é fachada, a face, o rosto. Esta cena
coreografada ou esta coreografia que é uma cena utiliza-se de 07 portas que abertas permitem
a passagem para dentro da escola, o lugar mágico onde a folia arquitetada acontece e o sonho
pode até se realizar. Nesse espaço de tempo, a vida vai tentando acompanhar o relógio abrindo
e fechando portas. Na busca pela comunicação e a partir dela chegar à emoção
atores/dançarinos/foliões se transformam em seres misteriosos urbanos, carnavalescos. Sua
função é contar e recontar suas estórias cotidianas entre portas que se abrem para o possível e
se fecham ao inevitável ou vice-versa. As Portas e  seus habitantes que preenchem o espaço
arquitetônico que é a Avenida criam um fluxo constante de ir e vir, juntar e separar, eleger e
largar”.
Coreógrafo(s): Deborah Colker e Ulysses Cruz.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 9,9

MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL 
ENREDO: “A vida que pedi a Deus”.
CARNAVALESCO(S): Mauro Quintaes.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “A grande luta: apocalípticos x apoteóticos”.
O que representou:  “Vai começar uma grande batalha. Seres fantásticos, sobrenaturais
chegam ao desfile da Mocidade para travar uma luta pelo domínio do mundo. De um lado, as
forças do mal, seres apocalípticos com a missão de  espalhar quatro pragas sobre a Terra, 114
ajudados por espíritos malignos. Do outro, os apoteóticos, que tentam nos livrar dos domínios
do mal, trazendo boas energias para a humanidade. Quem irá vencer este embate?”
Coreógrafo(s): Ana Botafogo.
Pontuação: 9,9 – 9,9 – 9,8 – 9,8

UNIDOS DA TIJUCA
ENREDO: “Ouvindo tudo o que vejo, vou vendo tudo o que ouço”.
CARNAVALESCO(S): Paulo Barros.
Componentes: 13 masculinos.
Nome da fantasia: “Prelúdio”.
O que representou:  “A ópera é precedida por um grande prelúdio. A Comissão de Frente
vem composta por treze componentes caracterizados de Mozart, que vão representar essa
introdução ao enredo. De forma surpreendente, os personagens fazem surgir teclas de um
piano que se juntam formando um teclado. Doze teclas e um Mozart evoluem na Avenida para
anunciar o início da ópera. Além disso, o teclado representa uma forma de reverenciar Mozart,
que compunha em cravo e piano desde os seis anos de idade”.
Coreógrafo(s): Sergio Lobato.
Pontuação: 10 – 10 – 10 – 9,8

 IMPÉRIO SERRANO
ENREDO: “O império do divino”.
CARNAVALESCO(S): Paulo Menezes.
Componentes: 03 femininos e 12 masculinos (Denise Acquarone, Juliana Acquarone,
Tatiana de Almeida, Antônio Henrique, Cláudio Pfeil, Edson Basílio, Hugo Rafael, Jorge
Allan, Lucinei Santos, Luzimarcos, Marcelo Ramos, Marcelo Gonçalves, Paulo Guimarães,
Rafael Cruz, Sérgio Athaide e Walmir Souza).
Nome da fantasia: “Os caminhos da fé”.
O que representou: “Uma procissão feita por romeiros que representam os personagens mais
alegóricos de nosso folclore. Teremos personagens da cavalhada, do reisado, da congada, do
maracatu, do pastoril, da folia de reis em movimentos que nos lembram várias passagens
folclóricas e religiosas, apoiados por um andor que em determinados momentos ganha ares de
festa do Divino, do Círio de Nazaré, de procissões  e romarias e o imaginário popular vai
definir o que aquilo representa no momento, no coração de cada assistente”.
Coreógrafo(s): Nino Giovanetti.
Pontuação: 9,9 – 9,9 – 9,8 – 9,7


PORTELA
ENREDO: “Brasil marca tua cara e mostra para o mundo”.
CARNAVALESCO(S):  Amarildo de Mello e Ilvamar Magalhães.
Componentes: 15 masculinos.
Nome da fantasia: “A águia abraça a todos os povos”.
O que representou:  “...estará representando a receptividade do brasileiro ao acolher, sem
qualquer discriminação e/ou diferenciação, todos os povos que escolheram esta terra para
viver. Suas fantasias, com águia (nosso símbolo) na parte da frente e indumentária de algumas
etnias na parte traseira traduzem a mistura dessas  etnias, que vieram compor a  CARA DO
POVO BRASILEIRO. A Comissão utiliza uma coreografia, com bailados  diferentes, 115
buscando demonstrar ao resto do mundo, através da maior festa popular –  o carnaval –  ser
possível reunir tantos povos, vivendo em paz e harmonia”.
Coreógrafo(s): Gerônimo.
Pontuação: 9,8 – 9,7 – 9,7 – 9,6

FONTE: "Abre alas - LIESA"

Nenhum comentário:

Postar um comentário