Aqui elas dão show!

Loading...

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Justificativas 2012 - Renascer de Jacarepaguá




Após 13 anos, a Renascer de Jacarepaguá fez a sua estréia no Grupo Especial do Rio de Janeiro, levando pra avenida uma grande homenagem ao pintor Romero Brito com o enredo "O artista da alegria dá o tom da folia!". Apesar de também estrear no Grupo Especial, Alice Arja, já ocupa este cargo na escola a muitos anos. E num 2012 cheio de novidades ela levou para a avenida a comissão "Convite à Alegria nos Matizes da Folia".



O QUE REPRESENTOU:
 A linguagem do pintor se articula pelas cores. E no caso de Romero Britto, as cores foram também as rmas utilizadas para afastar o negro da vida. Nossa comissão de frente pretende espargir as tintas na Avenida anunciando o gênio brasileiro da pop art contemporânea, criador da “arte da alegria”, capaz de curar a alma. Os palhaços – eternos guardiões da alegria e personagens centrais de diversos quadros do artista homenageado – saltam vivos de suas telas para bailar com as cores. Enfim, são os próprios personagens do pintor que o anunciam, banhando de cores a passarela e o Rio de Janeiro. 
Não haveria melhor maneira de receber o homenageado e contar a sua história: um chão banhado de tinta fresca e uma atmosfera de felicidade espontânea. O menino que a tudo fez viver é anunciado pelos seres de sua própria imaginação, lugar em que vivem todas as formas e todas as cores, articuladas pela INSPIRAÇÃO.
A comissão de frente apresenta como elementos cenográficos “latas de tintas, cujo intuito é banhar a Sapucaí, colorindo com os sonhos e cores de Romero toda a Avenida. De tais latas de tinta, saem bailarinas com figurinos estilizados individuais nas cores de suas respectivas latas, cores estas escolhidas por seu apelo vibrante. As bailarinas representam as cores que bailam com a arte ingênua e alegre de Romero e se debruçam por suas telas para conduzir emoção. E se bailam com a ingenuidade e a alegria de Romero, bailam com aqueles que foram escolhidos como o símbolo tradicional da alegria espontânea e ingênua: os palhaços. Em figurinos também adaptados, os palhaços de nossa comissão de frente apresentam diferentes modelos de palhaços, cada qual com seu traço, relembrando as inúmeras possibilidades criativas de cores e formas. Em sua coreografia, os palhaços evocam a origem do artista, demonstrando traços culturais do gestual e da cultura pernambucana.

CONFIRA O QUE ACHARAM OS JURADOS:

Fabiana Valor - 9,8
Concepção/Indumentária - 5,0               Apresentação/Realização - 4,8
"A coreografia foi bonita e muito bem ensaiada. A idéia de banhar de cores a passarela foi muito boa, mas poderia ter sido melhor aproveitada (-0,1). Os baldes de tinta poderiam estar melhor acabados. Ou uma lycra com uma fenda - para que os bailarinos saíssem - ou listras de elástico. Desta forma não veríamos o interior dos mesmos."

Marcus Nery M. Vabo - 9,6
Concepção/Indumentária - 4,8               Apresentação/Realização - 4,8
"Concepção/Indumentária - 4,8 - (-01)  Foram raras as variações de movimentos no desenho da coreografia deixando de impactar positivamente o público. (-01) Durante toda a exibição da comissão de frente faltou um momento de clímax.
 Apresentação/Realização - 4,8 - (-0,1) O conjunto da construção coreográfica não transmitiu emoção suficiente, sem impacto visual, sem nenhuma inovação. (-0,1) Simplicidade bastante acentuada no acabamento da decoração das alegorias principais."

Paulo César Morato - 9,7
Concepção/Indumentária - 4,6               Apresentação/Realização - 4,9
"- Alice Arja desenvolve a sua pesquisa coreográfica experimentando novas possibilidades entre dança e pintura, no caso o mundo de R.Brito. Mas as cenas se sucedem em estado latente, o uso das cores como recurso metalinguístico ñ funciona a contento, resultando numa pueril justaposição de elementos. a dança sucumbe à esse emaranhado e ñ se constrói, enquanto a pintura se torna mero adereço. Ñ empolgou!
-Faltou um ponto de clímax e impacto, que ñ foi conseguido com a formação da palavra "renascer" ao final da coreografia."

Raphael David - 9,5
Concepção/Indumentária - 4,6               Apresentação/Realização - 4,9
"Concepção/Indumentária: concepção singela e com reduzida capacidade de impactar o público (-0,1), impressão quanto as formas e cuidados na confecção pelas dimensões das latas de tinta que ocultavam os componentes durante sua exibição (componentes masculinos) (-0,1). A uniformidade de detalhes foi prejudicada pelo chapéu (tinta vermelha) que ficou desabado para trás (-0,1)
Apresentação/Realização: cumpriu suas funções precípuas - saudar o público e apresentar a escola - de forma confusa e pouco comunicativa (-0,1)."

Veja o que disse a coreógrafa após o desfile:


SRZD CARNAVAL - Bem colorida, a comissão de frente da escola veio vestida de Convite à alegria nos matizes da folia. Eles evoluíram com alegorias que representavam latas de tinta, com as cores mais utilizadas pelo artista plástico. Juntas, elas mostraram o nome da escola e um baú. Para Alice Arja, coreógrafa da comissão, o desfile é um momento de emoção indescritível. "É um presente representar o meu querido irmão e amigo Romero Britto", disse a coreógrafa, que está há 13 anos na agremiação.

Infelizmente a Renascer não foi tão feliz em sua estréia e amargou a 13ª colocação, retornando ao Grupo de Acesso.

Alice Arja que em 2012, também coreografou a Império da Tijuca, teve que escolher entre as duas escolas que agora são concorrentes no mesmo grupo. Alice permaneceu na escola de Jacarepaguá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário