Aqui elas dão show!

Loading...

quinta-feira, 5 de abril de 2012

SOU COMPONENTE - com Helder Sátiro

 "Sou dançarino por vontade, amor, desejo e prazer"

Cheio de alegria, o técnico de enfermagem, amante do carnaval e das escolas samba, Hélder Sátiro, 35 anos,  faz amizades por onde passa. Aliás, sempre acompanhado de sua máquina fotográfica faz questão de registrar esses momentos.

Admirador inveterado do samba no pé dos passistas e das comissões de frente, nunca havia participado dos desfiles até ano de 2003, quando foi convidado por um amigo que já fazia parte do GRES. Unidos do Bandeirante em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, a fazer parte do elenco coreografado por Maurício Riviera. Neste ano o mesmo trabalho apresentado em Nova de Iguaçu foi levado para o desfile do GRES. Andaraí, no carnaval do Espírito Santo.

"Já havia desfilado mas nunca num segmento que valesse ponto. Lembro que uma amiga minha, a Raquel, tinha um ingresso sobrando para o desfile das Campeãs e me convidou para ir junto. Naquele sábado, devido ao meu primeiro envolvimento com comissão de frente, este era o momento que mais me chamava a atenção nos desfiles; assistia super atento e empolgado. Fiquei me imaginando numa comissão de frente do Grupo Especial, nem sabia como funcionava, acreditava que somente bailarinos profissionais podiam participar, então achava que jamais teria esta oportunidade. Sou dançarino por vontade, amor, desejo e prazer."

Começou a dançar quadrilha, aos 5 anos de idade, ainda na escola e depois em grupos competitivos até 2009. Durante um curto espaço de tempo fez aulas de street dance com o professor e coreógrafo Júlio Molina na Academia de Dança Valéria Brito. O que Hélder não imaginava é que ainda naquele ano, fosse convidado a fazer um teste para integrar o grupo do coreógrafo Marcelo Misailidis na Acadêmicos do Salgueiro e ter a primeira oportunidade real de atuar numa comissão de frente do Grupo Especial.



"Posso relatar que foi maravilhoso, uma experiência inicial que me deixou muito emocionado e ainda mais apaixonado por este segmento."

 Em 2004, o Salgueiro levou para a avenida  “A cana que aqui se planta tudo dá... até energia! Álcool, o combustível do futuro”, a comissão representava os “Guardiões guerreiros”, neste ano Helder fez parte do elenco reserva.



"Nunca vou esquecer do desfile no Salgueiro, foi a minha primeira experiência numa comissão de frente do grupo de elite do samba. Embora eu tenha sido, stand-by, a experiência que tive preencheu muito a minha noção de arte na dança, pois tive que aprender cinco posições diferentes que se revezavam, ora sendo iguais, ora diferentes, tanto para a esquerda, quanto para a direita. Um aprendizado! Na época eu trabalhava numa loja de calçados em Nova Iguaçu e o gerente me liberava mais cedo para que eu chegasse a tempo nos ensaios que                      aconteciam na quadra da Tijuca. Na loja todos eram meus fãs, torciam, incentivavam... rs!"

A partir de 2005 Helder esteve em outros segmentos das escolas de samba, entre elas, a Alegria da Zona Sul. Porém, em 2009 retorna aos trabalhos com comissão de frente pelas mãos de Ghislaine Cavalcante na Beija Flor de Nilópolis, que tinha em seu enredo uma ode ao banho. O enredo era "No chuveiro da alegria, quem banha o corpo lava a alma na folia" e a comissão - "A Arte Milenar de Tomar Banho" - representava o primeiro banho surgido no Egito que numa grande brincadeira transformava seus integrantes em banhistas numa praia dos dias atuais.

Em 2010, permaneceu no grupo de Ghislaine na Beija Flor que homenageava Brasília com o enredo "Brilhante ao Sol do Novo Mundo, Brasília do Sonho à Realidade". Com uma das fantasias mais caras do Grupo Especial, a comissão "Dádivas Concedidas pelo Criador num Sonho Divina" estava vestida de arautos de luz, representações dos anjos da Catedral de Brasília.


"Usei a roupa mais cara da minha vida em trabalhos de comissão de frente, feita pela equipe do estilistas das estrelas Henrique Filho, que faz roupas, nada mais, nada menos do que para a Xuxa, Luma de Oliveira, Adriane Galisteu e Sabrina Sato. rsrs! Me senti, né! E nem poderia ser diferente, vestindo uma linda roupa no valor de R$ 17.000,00 cada uma, num investimento total de R$ 300.000,00."

Em 2011, resolveu tirar "férias", desfilando apenas como destaque em escolas do grupo de Acesso. Mas em 2012, o amigo Wagner Silva , que conheceu na comissão da Beija Flor ligou avisando sobre os testes para comissão da Vila Isabel, mais uma vez sob a batuta de Marcelo Misailidis.

"Ele me ligou dizendo que haveria o teste e perguntando se eu estava interessado. Empolgado, na mesma hora disse que sim. Tive convites para desfilar na Portela com o meu amigo, o coreógrafo Márcio Moura e também para retornar à Beija Flor com Fábio de Mello, mas os testes das outras escolas não coincidiam com meus horários no hospital e acabei ficando mesmo na Vila Isabel. O processo seletivo começou na segunda semana de setembro. Fizemos um workshop com danças típicas da África, num grupo bem grande. Os testes aconteceram por três semanas, sempre às segundas feiras. Na terceira semana foi feito um teste individual, aonde foi escolhido o elenco que iniciaria o trabalho. O primeiro nome a ser chamado para fazer a apresentação de improviso solo foi o meu. Tremi na base, rs... Mas deu tudo certo, fiz todas as loucuras que o ritmo ditava na minha cabeça, me joguei com o coração e muita vontade de ficar... Fui selecionado para a minha felicidade."

Segundo Helder, contando desde o processo seletivo, o grupo se encontrou quase seis meses, com ensaios marcados para ter início sempre às 21h: "A galera ia chegando aos poucos dos seus compromissos de trabalho e de casa. No início ensaiávamos até umas 23h e duas vezes por semana. Conforme o mês foi passando, o ensaio foi se intensificando, no final já estávamos ensaiando quatro vezes na semana e na reta final todos os dias até altas horas da madrugada. Era cansativo, às vezes estressante, mas muito divertido. Tenho muitas histórias pra contar destes ensaios, pois os profissionais envolvidos neste trabalho tinham um astral muito bom e mesmo quando estavam todos reunidos com um tom de seriedade, éramos uma festa. Muito bom mesmo! Tenho saudades e já estou doido para chegar o próximo carnaval! rs!"

A Vila Isabel contou o enredo “Você Semba Lá... Que eu Sambo Cá! O Canto Livre de Angola”. Marcelo Misailidis colocou a  "A Savana Africana" na avenida e nela uma tribo angolana e animais africanos que revesavam na apresentação.

"Acho que o trabalho feito este ano na Vila e este reencontro com o Misailidis marcam uma nova fase. É uma grande emoção relembrar todo processo e assistir aos vídeos (lembra da sua inseparável câmera fotográfica?), lembrar da união dentro daquela avenida... Éramos os próprios guerreiros da tribo angolana. Era de arrepiar a reação do público e o sucesso alcançado foi muito satisfatório.

Na hora de dizer qual a escola de coração, Helder é político: "Costumo dizer que sou apaixonado e no carnaval estou a serviço do samba. Meu coração é vadio, rs! Amo várias escolas, tenho amigos e histórias em várias delas. Mas, as minhas preferidas são aquelas por onde passei e fiz parte da história delas. São elas: Salgueiro, Beija Flor, Vila Isabel e Alegria da Zona Sul."

Antes do desfile leva a vida de forma saudável, procura ficar tranquilo e atento aos colegas, já que o trabalho consiste num trabalho de grupo aonde todos estão no foco, abrindo o espetáculo com a responsabilidade de trazer a energia para a escola, levantando o público.

"Sempre faço uma oração do meu jeito, ninguém nem percebe, faço quietinho... sozinho. Um bate papo íntimo com Deus, com os anjos e com todas as energias positivas que possam me inspirar e me ajudar naquele momento, peço proteção para os meus companheiros e para mim. Ligo para a minha mãe que é minha principal incentivadora em tudo na vida, peço a benção até o último momento que posso falar com ela. Depois disso, eu relaxo, porque a gente ensaia tanto que no dia não tem mais o que ser feito, a não ser realizar o trabalho e se divertir. Então, gosto de ficar perto da galera, trocando idéias, rindo... Pronto pra entrar na avenida e contribuir fazendo a minha parte.
  Minha história com o samba e o carnaval começou muito antes da comissão de frente, mas tudo me levou a isso. Preciso dizer que amo fazer parte, me realizo dançando. Libero toda a energia no momento do desfile, que para mim começa na maquiagem. Me envolvo com todo o processo, me dedico e me divirto. É lindo receber o carinho das pessoas e dos amigos."

 Sobre o resultado final, Helder diz que o reconhecimento das pessoas é o maior retorno que pode receber - "Esta demonstração de carinho na mesma hora me faz pensar que no final valeu a pena passar tamanhas dificuldades, conflitos, ensaios até tarde, exaustão... "

Bom. Este é Helder Sátiro, componente fiel de comissões de frente, passista e presidente da ala de passistas da Alegria da Zona Sul, aderecista e ... SAMBISTA. Agradecemos, a gentileza de bater esse papo com a gente! Vamos encerrar abrindo espaço para que o nosso convidado possa fazer suas considerações finais.

"Quero agradecer pela oportunidade que tenho aqui de expressar toda a minha participação no carnaval carioca com trabalhos em comissão de frente. Parabenizar o trabalho deste blog, dedicado a este segmento com competência e criatividade, dando abertura para que as pessoas conheçam os bastidores e os artistas por traz das apresentações, mantendo viva a história do carnaval, contando a nossa história. Quero agradecer a todos os coreógrafos citados aqui, que me deram oportunidade e confiaram no meu talento, mesmo quando ainda não me conheciam e nem ao meu trabalho. Aos colegas de cena que se mostram generosos e competentes, formando uma turma muito boa, com quem aprendo muito observando o trabalho, lado a lado. Agradecer aos amigos que me incentivaram e me levaram a chegar até aqui com suas indicações e palavras de apoio. A minha mãe Adinalva, maravilhosa e minha família, pai e irmã, tudo na minha vida. E agradecer a um amigo muito especial, companheiro de vida, que me incentivou e me abrigou na sua casa quando os ensaios terminavam tarde. Morador de Vila Isabel e um paulista praticamente carioca Ed Vincze. Agradeço a Deus pelo dom da arte em minha vida e por todas as oportunidades que surgem no meu caminho me fazendo mais feliz. Muito, muito obrigado!"

Março / 2012










2 comentários:

  1. Helder é uma pessoa especial;sempre apaixonado pelo que faz,não poupa energias para que tudo saia a contento.Merece todos os louros que lhe forem dados!Parabens!Eutalia

    ResponderExcluir
  2. Ê coisa mais linda de se ver!!!

    ResponderExcluir